Trabalho de instalação da nova ponte envolve içamento das peças de concreto Crédito: Renata Meneghin/ Secom
Trabalho de instalação da nova ponte envolve içamento das peças de concreto
Crédito: Renata Meneghin/ Secom

A 1ª fase da instalação da nova ponte na confluência dos Ribeirões das Araras e das Furnas pode ser concluída até amanhã, dia 10, dependendo das condições meteorológicas. O trabalho integra o projeto de macrodrenagem urbana realizado por meio de parceria entre a Prefeitura de Araras e o Governo Federal, com recursos do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento).

As peças de concreto que compõem o conjunto da nova ponte começaram a ser içadas e fixadas na estrutura de sustentação na manhã de ontem, dia 8. A Secretaria Municipal de Planejamento, Gestão e Mobilidade, que acompanha a obra, reforça que esse tipo de serviço necessita ser realizado com o tempo mais estável e sem chuvas, pois são utilizados guindastes com capacidade para erguer até 80 toneladas. Pesadas, as máquinas precisam estar em solo firme para evitar transtornos.

Até o fim desta semana, deve ser concluída a instalação das peças pré-moldadas que servirão como base do dispositivo. Outras duas etapas ainda serão realizadas até a conclusão da nova ponte. “Assim que terminar essa fase, daremos início à concretagem da laje no local para, só depois, fazer a pavimentação da ponte. O andamento das obras depende muito das condições meteorológicas. A previsão, se tudo acontecer de acordo com o cronograma, é que a ponte esteja concluída em dois meses”, comentou o engenheiro da Secretaria de Planejamento, Rodolfo Bigarelli Terrabuio.

Com as intervenções, o Demutran (Departamento Municipal de Trânsito) reforça que os motoristas devem evitar o trecho próximo ao cruzamento entre as avenidas Dona Renata (Marginal) e Milton Severino. O fluxo de veículos está sendo interditado temporariamente, apenas durante a manobra das máquinas, e liberado em seguida, mas pode ocorrer lentidão no trecho.

“Além disso, alertamos principalmente os motociclistas para que evitem passar por este trecho porque, devido à movimentação das máquinas, há um pouco de lama na via pública, o que pode deixar o asfalto escorregadio. Mesmo com as equipes realizando a limpeza constante do local, podem ocorrer transtornos enquanto as máquinas estiverem trabalhando”, orientou o diretor do Demutran, Luiz Carlos Bressan Júnior.

Ele reforça que os motoristas devem buscar rotas alternativas para acesso, principalmente, entre as regiões central e leste, evitando a Avenida Milton Severino. Entre as opções que podem ser utilizadas estão a Loreto e a Ignácio Zurita Neto.

 

Macrodrenagem urbana

As obras de macrodrenagem urbana visam diminuir a ocorrência de enchentes em pontos considerados críticos da cidade, principalmente no Ribeirão das Furnas. Os trabalhos envolvem o alargamento da calha do Ribeirão das Furnas e de parte do das Araras, em um trecho de aproximadamente 2,1 km, localizado entre as proximidades do Flat Lagoa Serena e a confluência dos Ribeirões das Furnas e das Araras, perto da entrada do Residencial Samantha.

Nestes trechos, o Ribeirão das Furnas ficará com a calha alargada em 20 metros e o das Araras, em 15.

O trecho de obras no Ribeirão das Furnas é considerado um dos mais críticos de todo o projeto, principalmente próximo ao Colégio COC, ponto recorrente de alagamentos no período de chuvas intensas. As obras foram retomadas após reprogramação e adequação do projeto inicial. O projeto também inclui a construção de uma mureta do tipo “New Jersey” ao longo de toda a canalização.

O sistema de macrodrenagem urbana envolve, ao todo, a canalização de 1.100 metros do Córrego do Facão (já concluído), a construção de três reservatórios de contenção de águas pluviais, próximo ao Narciso Gomes (obra também já concluída), e a troca de 15 pontes, visando adequá-las às intervenções do PAC 2.

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*