falta-agua1Um levantamento realizado pelo Saema (Serviço de Água e Esgoto e Meio Ambiente), referente a quantidade de água tratada no munícipio, ainda preocupa a autarquia responsável pela distribuição de água em Araras. Os números apontam que mesmo após a mudança no cronograma de rodízio de água em que alterou de 12×12 para 12×36 o racionamento, o consumo da população em geral não diminuiu o esperado.

A pesquisa aponta os números aproximados do consumo dos populares baseado no quanto a autarquia trata diariamente de água (veja na tabela). De acordo com a tabela até o dia 11 de dezembro de 2014, último dia em que o rodízio 12×12 foi seguido, o consumo médio de água tratada era de 38 milhões de litros por dia. Já com o novo rodízio que teve início no dia 12, também de dezembro, o consumo médio, até a última segunda feira, dia 9 (data da pesquisa divulgada), o consumo médio da população foi para 33 milhões de litros por dia, tendo diminuído 5 milhões, o que para a autarquia não é o suficiente.

“Nossa meta é chegar ao consumo de 20 a 23 milhões de litros de agua tratada por dia o que será o ideal, só assim poderemos reservar mais recursos. Além dos planos de metas que lançamos, o Saema já está com um projeto de uma nova campanha para conscientizar a população”, disse o Felipe Beloto, presidente da autarquia, através da assessoria de imprensa do Saema.

Entre as metas a curto prazo lançadas pelo Saema estão as produções de “campanhas, cursos e palestras nas comunidades, escolas, faculdades, bem como outdoors, cartazes, estandes em eventos e veiculação por rádio e televisão, informando e ensinando como economizar água no banho, na cozinha, lavando roupa, nas tarefas do dia a dia e demais atividades domésticas (ação já em andamento)”.

Uma popular, que preferiu não se identificar, justificou a não queda desse consumo em sua residência. “Esse racionamento de 12×36 só atrapalhou e não serviu para diminuirmos mais o consumo, pois a louça suja fica acumulada, assim como a roupa entre outras coisas, então nos períodos que tem água usamos tudo aquilo que não pudemos usar por que é necessário, não podemos ficar sem banho, e nem com as louças todas sujas ou até mesmo a roupa”, disse a mulher.

O levantamento também aponta uma diminuição no consumo médio da população desde que iniciaram as campanhas e até mesmo o primeiro rodízio. Antes do início das campanhas de conscientização sobre a falta de água na cidade e também das multas aplicadas aos munícipes que fossem flagrados desperdiçando água, a quantidade de água tratada pela autarquia era de aproximadamente 62 milhões de litros por dia, e após essas ações intensificadas pela Prefeitura esse número caiu para aproximadamente 44 milhões.


Audiência pública

A audiência pública para discutir a reestruturação tarifária de água acontece no próximo dia 19, às 19 horas, na Câmara Municipal de Araras.

Aberto à população, o evento terá a participação de técnicos da Prefeitura e do Saema, além de representantes da Ares PCJ (Agência Reguladora de Serviços de Saneamento da Bacia dos Rios Piracicaba, Jundiaí e Capivari), órgão regulador ao qual o Saema e outras autarquias similares de 34 cidades da região são subordinadas para tomada de decisões variadas sobre água e saneamento.

O ponto mais importante será a apresentação da fundamentação para redução da cota mínima de água praticada em Araras, hoje fixada em 18 metros cúbicos ou 18 mil litros, com tarifa de R$ 27,93, para 10 metros cúbicos ou 10 mil litros, com tarifa proposta de R$ 19,40.

A audiência também servirá para explanação de outros elementos da reestruturação tarifária, como a adoção do desconto de 50% para clientes do Saema que consumirem até 5 mil litros ao mês.  Neste caso, o consumidor pagará R$ 9,70 por cinco mil litros/mês consumidos.


Confira a tabela com a quantidade de água tratada pelo Saema:

Volume de água tratada/dia

Período normal                                                       60/63 milhões de litros

Período com multa/campanha                             40/48 milhões de litros

Após o racionamento I (12×12) – (16/10)           38/40 milhões de litros

Após o racionamento II (12×36) – (12/12)          abaixo

 

 

Dezembro

12 – 21,1 milhões

13 – 34,1 milhões

14 – 33,8 milhões

15 – 34,6 milhões

16 – 30 milhões

17 – 33 milhões

18 – 31.750.000

19 – 38.376.000

20 – 30.672.000

21 – 29.880.000

22 – 29.808.000

23 – 33.768.000

24 – 34.960.000

25 – 49.200.000

26 – 29.520.000

27 – 30.096.000

28 – 31.968.000

29 – 38.484.000

30 – 26.352.000

31 – 41.904.000

 

Janeiro

1 – 45.144.000

2- 29.952.000

3- 24.660.000

4 – 37.080.000

5 – 24.336.000

6 – 32.472.000

7 – 33.840.000

8 – 33.912.000

9 – 32.472.000

10 – 31.176.000

11 – 30.240.000

12- 32.004.000

13 – 38.160.000

14 – 35.676.000

15 – 35.496.000

16 – 37.584.000

17 – 37.188.000

18 – 35.424.000

19 – 36.900.000

20 – 32.004.000

21 – 38.592.000

22 – 35.640.000

23 – 34.380.000

24 – 35.460.000

25 – 36.288.000

26 – 34.164.000

27 – 34.884.000

28 – 35.244.000

29 – 32.184.000

30 – 34.884.000

31 – 32.544.000

 

Fevereiro

1- 35.748.000

2- 32.112.000

3 – 35.244.000

4 – 32.724.000

5 – 34.056.000

6 -32.724.000

7 – 35.280.000

8 – 32.616.000

9 – 35.280.000

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*