O responsável pelo acidente que matou uma mulher grávida e o marido no mês passado não passará impune. A Justiça de Araras decretou a prisão do acusado de ter sido o autor do acidente fatal que aconteceu na rodovia Wilson Finardi no dia 7 de março, a investigação policial aponta o possível estado de embriagues do motorista no momento da colisão. Até o fechamento dessa edição a Polícia Civil de Araras ainda não havia cumprido o mandado.

Laila estava grávida do primeiro filho há quatro meses, e era recém casada com Fernando Hebling

A prisão preventiva de Claudio Pereira da Silva foi expedida pelo juiz Rafael Pavan de Moraes Filgueira na última quarta-feira, dia  14. “O Ministério Público requereu a prisão preventiva do investigado, suspensão da habilitação e diligências complementares… Com efeito, os crimes por ele, em tese, cometidos são de imensa gravidade e repercussão social. Vidas foram ceifadas de forma abrupta e inexplicável por pessoa que conduzia veiculo automotor em estado de embriaguez”, diz o mandado.

O documento também ressalta os perigos de quem bebe e dirige podem causar. “É de conhecimento notório os riscos decorrentes da ingestão de bebidas alcóolicas e condução de automóveis. Não é de hoje que mortes têm como origem nefasta prática. Mesmo ciente disso, o investigado optou livremente por, mesmo ébrio, pegar ao volante, assumindo o risco de produzir mortes, o que de fato ocorreu, infelizmente. Aguardar-se o trânsito em julgado de eventual decisão condenatória ensejará riscos maiores à sociedade em razão da evidente impunidade que reina em casos desta estirpe. Serviria de estímulo ao infratores”, explica.

Segundo consta no boletim de ocorrência registrado momentos após a colisão, o acidente foi ocasionado enquanto a vítima Laila Lúcia Ribeiro Hebling (grávida), de 29 anos, e o marido dirigiam na rodovia no sentido Araras quando foram surpreendidos com um acidente provocado por outro veículo durante uma ultrapassagem a um caminhão. Ainda segundo a PM, o motorista do outro carro envolvido na colisão estava aparentemente embriagado, então foi submetido a um teste que deu positivo para álcool, entretanto o homem não foi preso, já que seu quadro clínico também era grave.

De acordo com informações da Polícia, as vítimas foram levadas para o Hospital São Luiz em Araras, local onde sete horas mais tarde foi constatada a morte da mulher grávida, nesse espaço de tempo seu marido que estava junto no carro foi operado e em seguida entrou em coma induzido por conta da gravidade dos ferimentos, entretanto também morreu uma semana após o acidente . Já o agente penitenciário embriagado, foi transferido para um hospital de Leme por seus ferimentos serem menos graves, durante isso a mulher ainda não havia morrido.

 

Justiça

A mulher e o marido estavam a caminho de Pirassununga/SP para uma visita à mãe de Laila até serem surpreendidos pela colisão. Laila estava grávida do primeiro filho há quatro meses, e era recém casada com Fernando

O casal morava em Rio Claro/SP, Laila era formada em psicologia e Fernando é fisioterapeuta atuante na cidade azul.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*