Grupo de estudantes do Ensino Médio da EE “Francisco Graziano” não aprovam a nova medida imposta pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.

Um grupo de alunos do Ensino Médio da EE “Francisco Graziano” questionou a reorganização de ciclo nas escolas estaduais, imposta pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, cuja iniciativa tem por objetivo aprimorar as ações pedagógicas por faixa etária. Segundo os estudantes, a partir de 2016 haverá uma “troca” de ciclos entre a unidade e a EE “Yolanda Salles Cabianca”, localizada no bairro Vila Dona Rosa Zurita.

Com isso, a escola Graziano passará a receber apenas alunos do ensino fundamental e os estudantes do ensino médio terão que migrar para o Cabianca. O mesmo acontecerá com as instituições ararenses com proximidades no raio de 1,5 km, ou seja, as EEs “Doutor Cesário Coimbra”, “Ignácio Zurita Júnior”, “Maximiliano Baruto” e “Professora Judith Ferrão Legaspe” passarão pelo mesmo processo.

Grupo de estudantes do Ensino Médio da EE “Francisco Graziano” não aprovam a nova medida imposta pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.
Grupo de estudantes do Ensino Médio da EE “Francisco Graziano” não aprovam a nova medida imposta pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.

“Essa mudança não é de agrado para nós. Escolhemos a escola pelo nome e pela tradição, sem desmerecer o Cabianca. Mas o Graziano está mais estruturado para o Ensino Médio, sem contar que a distância para ir até a outra unidade iria interferir muito, pois os alunos teriam que mudar a rota para uma distância ainda maior”, apontou Lara Cristina Emídio, aluna da 2ª série do Ensino Médio.

Já o estudante Matheus Felipe Martins, também do 2º ano do Ensino Médio da escola Graziano, relatou que a mudança não ajudará a melhorar a qualidade de ensino nas escolas estaduais. “Sou completamente contrário a essa modificação. Pois acredito que a qualidade do ensino não mudará com essa reorganização de ciclo. O ensino pode ser melhorado de outras maneiras como a valorização do professor, investimento na educação e melhores oportunidades para o aluno”, argumentou.

No entanto, hoje, dia 1º, uma reunião será realizada entre os diretores das unidades que serão remanejadas e dirigentes da Diretoria de Ensino para debaterem sobre o assunto. O encontro acontece às 14 horas, na EE “Coronel Justiniano Whitaker de Oliveira”.

 

Entenda o caso

Com objetivo de melhorar a qualidade de ensino e do ambiente escolar no Estado de São Paulo, a Secretaria da Educação iniciou no último dia 23 de setembro uma reorganização em sua rede.  O novo processo pretende ampliar o número de escolas divididas pelos três ciclos de educação: Ensino Fundamental – Anos Iniciais e Anos Finais – e Ensino Médio, a partir do primeiro dia do ano letivo de 2016.

Com a nova proposta, os alunos do Ensino Médio, por exemplo, passarão a estudar apenas com estudantes deste segmento. O mesmo vale para os alunos dos ensinos Infantil e Fundamental. Estudo da Secretaria indica que escolas com ciclo único abrigam alunos com rendimento 10% superior às unidades com três ciclos de ensino.

No entanto, os dirigentes das 91 Diretorias de Ensino da rede terão papel fundamental na validação de estudo técnico da Secretaria, apontando questões regionais para a movimentação dos alunos.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo implantou limite de 1,5 km de distância para transferência de estudantes. “Além de ter uma escola focada em sua faixa etária, sem mistura de alunos de seis anos de idade com adolescentes de 17 anos, o estudante ganhará com a maior fixação dos professores, já que os docentes terão mais alunos de determinado ciclo para atribuir aulas em uma só unidade”, relatou em nota o secretário de Educação, Herman Voorwald.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*