Alunos das EEs “Francisco Graziano” e “Professora Judith Ferrão Legaspe” protestaram em frente a EE “Coronel Justiniano Whitaker de Oliveira”, no Centro da cidade.

Um grupo de alunos das EEs “Francisco Graziano” e “Professora Judith Ferrão Legaspe” realizaram na tarde da última quinta-feira, dia 1º, em frente a EE “Coronel Justiniano Whitaker de Oliveira, no Centro, um protesto contra a reorganização de ciclo nas escolas estaduais, imposta pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, com o objetivo de aprimorar as ações pedagógicas por faixa etária. No entanto, neste mesmo dia haveria uma reunião na escola Justiniano com diretores das unidades que passarão pelo processo e dirigentes da Diretoria de Ensino para debaterem sobre o assunto, mas por motivos desconhecidos foi cancelada.

Alunos das EEs “Francisco Graziano” e “Professora Judith Ferrão Legaspe” protestaram em frente a EE “Coronel Justiniano Whitaker de Oliveira”, no Centro da cidade.
Alunos das EEs “Francisco Graziano” e “Professora Judith Ferrão Legaspe” protestaram em frente a EE “Coronel Justiniano Whitaker de Oliveira”, no Centro da cidade.

De acordo com a Educação, a partir de 2016, escolas com distâncias no raio de 1,5 km farão o remanejamento de alunos, ou seja, uma unidade passará a receber alunos do ensino fundamental, enquanto a outra atenderá apenas estudantes do ensino médio.

A aluna do 2º ano do ensino médio da escola Graziano, Lara Emídio, falou sobre a nova medida tomada pela Educação. “Ninguém foi consultado se essa reorganização seria favorável ou não, foi uma decisão instantânea tomada por eles. Essa medida não é boa para nós estudantes e para os professores, pois irá mexer com a estrutura do povo e também das famílias”, disse.

Segundo a professora Regina Bovo, a reorganização não é favorável tanto para os alunos quando para os docentes. “Nós temos o direito de fazermos as nossas escolhas ao invés de aceitarmos imposições. Então, nesse sentido, os alunos não concordam com essa medida, pois muitos professores irão perder com isso e os estudantes também”, apontou a professora.

Durante a manifestação, estiveram presentes também os vereadores Breno Zanoni Cortella (PT – Partido dos Trabalhadores) e Marcelo de Oliveira (PRB – Partido Republicana Brasileiro) para darem apoio à causa. “Apoio este protesto dos alunos porque vimos que esta medida foi imposta sem consultar ninguém. O governo tem se importado em cortar gastos e investimentos na educação. Isso com certeza irá causar grandes prejuízos no ensino dos alunos”, comentou Breno Cortella.

“O professor que hoje pode dar aula para várias faixas etárias passará a ter apenas um grupo para ensinar. Com isso, ele será muito prejudicado. Outro ponto que irá afetar também o caso de um pai que tem filhos que estudam nos dois ciclos terá que levá-los em duas unidades diferentes. Essa medida irá cortar gastos por causa da crise financeira que nosso país atravessa, mas será um retrocesso para a nossa educação”, frisou o vereador Marcelo de Oliveira.

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*