A Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Araras hoje atende cerca de 235 crianças e adolescentes, com necessidades especiais, nas unidades Centro e Sítio Arco-Íris. Os alunos participam de várias oficinas assistidas e pedagógicas.

Apae atende cerca de 235 crianças e jovens com oficinas assistidas e pedagógicas nas unidades Centro e Sítio Arco-Íris

E para manter tudo funcionando, a unidade tem uma série de custos, como folha salarial de funcionários, entre outros, e, diferente do ano anterior, 2017 foi de grande alívio para a instituição. “Estamos felizes com a atual situação, em relação a 2016, quando foi mais delicado. Conseguimos fechar o ano no azul, com todas as contas e salários dos funcionários pagos. Podemos dizer que estamos respirando com mais tranquilidade graças à população que colaborou e compareceu aos nossos eventos, além da Prefeitura Municipal pelo apoio, força, carinho e respeito”, comemorou o presidente da Apae de Araras, Valdir Favetta.

Segundo ele, a entidade hoje conta com convênios para “pagar as contas”, mas nem toda a

Presidente da Apae, Valdir Favetta

verba recebida é suficiente para arcar com os custos. “Nós contamos com convênios das esferas municipal, estadual e federal, que cobrem parte de nossas despesas. A entidade tem um compromisso com vários profissionais e cada um deles segue uma legislação. E ao passar dos anos nossos técnicos e professores tiveram um reajuste por parte do dissídio coletivo”, aponta o presidente.

Para completar a renda, a Apae realizou no decorrer do ano vários eventos beneficentes para arrecadar fundos para a entidade, dentre eles a tradicional Feira das Nações – considerada a maior receita da unidade – que nesta edição superou as expectativas. “A Feira deste ano deu um retorno fantástico, a qual nós realizamos em três finais de semana consecutivos. Em relação ao lucro podemos afirmar que chegou próximo dos R$ 300 mil, o que corresponde a duas folhas de pagamentos da nossa entidade”, destacou Favetta. “Vale ressaltar que a Apae é uma instituição filantrópica que não visa lucros, mas precisa ter uma reserva para cobrir eventuais despesas”, completou.

Para quem deseja colaborar com alguma doação, a entidade está de portas abertas para a comunidade que queira conhecer as instalações e os trabalhos prestados pelos profissionais aos seus assistidos. A unidade Centro está localizada na rua Carlindo Pereira da Costa, 51, nas proximidades do Lago Municipal. Mais informações pelo telefone 3541-3133.

 

 

Instituição desenvolve projeto para autistas

Projeto visa propor a construção e produção de conhecimentos e intervenção socioeducativa nos educandos com transtorno do espectro autista inseridos na instituição

Desde o ano de 2014, a Apae de Araras atende educandos com transtorno do espectro autista, mais conhecido pela abreviação TEA. Segundo as definições conceituais, o transtorno do espectro autista é um distúrbio complexo do neurodesenvolvimento, com amplo espectro de manifestações clínicas, caracterizado por prejuízos na interação social, na comunicação verbal e não verbal e por apresentar padrões restritos, repetitivos e estereotipados do comportamento, interesses e atividades.

A prevalência deste transtorno está atualmente oscilando em 1/50, ou seja, a cada 50 nascimentos é possível haver uma criança com TEA. Na Apae Araras esses educandos encontram condições e metodologias apropriadas para seu desenvolvimento, respeitando suas particularidades e dificuldades, avançando na ampliação de sua qualidade de vida e de seus familiares.

Em 2017 foi implantado o Projeto Vínculo para autistas. Trata-se de uma metodologia específica para atuação mais próxima destes educandos e suas famílias.

O Projeto Vínculo é uma iniciativa da equipe multi e interprofissional da Apae – Araras, com o apoio e colaboração da Diretoria e Coordenação Pedagógica.

Trata-se de um projeto que visa investigar, conhecer, interagir e propor a construção e produção de conhecimentos e intervenção socioeducativa nos educandos com transtorno do espectro autista inseridos na realidade da instituição.

A Apae Araras é a única instituição credenciada pelo Governo do Estado que desenvolve seus trabalhos junto a educandos diagnosticados com transtorno de espectro autista classificados pela Associação Americana de Psiquiatria (DSM V) com níveis II e III, ou seja, que precisam de intervenção diariamente.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*