Em dezembro de 2014, com a forte crise, a represa Tambury passou por momentos difíceis Crédito: Saema
Em dezembro de 2014, com a forte crise, a represa Tambury passou por momentos difíceis
Crédito: Saema

“O pior passou, agora é seguir em frente e buscar não repetir mais os erros”. Esse é o pensamento de quase todo ararense que há cerca de um ano sofreram com a provável pior seca da história da cidade, em que uma das represas chegou a esvaziar completamente seu estoque. Atualmente, muito em virtude também das intensas chuvas das últimas semanas, essas represas já estão em quase 100% de suas capacidades.

De acordo com números divulgados pelo Saema (Serviço de Água e Esgoto do Município de Araras), o Complexo Hermínio Ometto/Água Boa chegou a 95% de sua capacidade na última terça-feira, dia 7, já o Complexo Tambury/Santa Lúcia atingiu o 100% há uns meses atrás e inclusive nessa semana precisou vazar água para que não transbordasse.

O ex-presidente da autarquia, Felipe Beloto, que esteve no cargo entre dezembro de 2014 e março de 2016, inclusive no momento mais crítico da crise hídrica, acredita que a cidade saiu dessa graças à gestão naquele momento. “Nós conseguimos, por do plano de metas conseguíssemos além de sair do sufoco nos planejar para o futuro com os recursos das quatro as barragens e também a captação do rio Mogi Guaçu, que foi a espinha dorsal do sucesso. Mas obviamente a natureza colaborou com as chuvas”, disse Beloto ao Opinião.

O reforço substancial na captação de água do rio Mogi Guaçu, obtido após a revitalização do sistema que havia sido implantado há mais de 30 anos. Dos 220 litros por segundo retirados por décadas, a captação saltou para 340 litros por segundo.

Outra medida importante, segundo o Saema e a Prefeitura, foi a gestão criteriosa das reservas nas represas – Hermínio Ometto/Água Boa, Tambury/Santa Lúcia, que tiveram seus estoques bastante preservados com a maior captação de água do rio.

No auge do agravamento da crise hídrica em Araras, em dezembro de 2014, a represa Água Boa secou. Hoje está com 95% de sua capacidade preenchida, e sem uso, ou seja, preservada. A Hermínio Ometto, no fim do ano passado chegou a ter somente 8% do nível, hoje tem 100%. Já a Tambury, que bateu nos 5%, hoje está com 100% de sua capacidade preenchida.

A própria manutenção do rodízio por dois dias na semana também foi decisiva para racionar o consumo e permitir que a cidade atravessasse praticamente o período mais crítico da estiagem agora em 2015. Durante o racionamento 2×5 dias o volume médio de água tratada para abastecer Araras ficou em 41 milhões de litros diários. Em outubro de 2014, quando o racionamento foi iniciado, esse volume chegou a ficar perto dos 60 milhões de litros por dia. Atualmente o consumo médio ararense é de 45 milhões diários.

Em registro feito na manhã de ontem, mostra a represa Tambury com 100% de sua capacidade  Crédito: César Foguel/TV Opinião
Em registro feito na manhã de ontem, mostra a represa Tambury com 100% de sua capacidade
Crédito: César Foguel/TV Opinião

Conscientização, combate ao desperdício com a aplicação de multas e a reestruturação tarifária, com mudança da cota mínima de 18 mil litros para 10 mil litros/mês, segundo o Saema, complementaram o conjunto de medidas para enfrentar e vencer a grave crise hídrica que afetou praticamente toda a região Sudeste e que, em muitas cidades, ainda gera grandes transtornos.

(Lucas Neri)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*