O Índice de Efetividade de Gestão Municipal busca avaliar se a visão e objetivos estratégicos dos municípios foram alcançados

Chefe do Executivo no período de 2015 a 2016, Nelson Dimas Brambilla (PT) analisa o resultado: “Nossa administração fez investimentos de gestão, quer seja na área financeira, propondo melhorias em toda a rede, e também na gestão pedagógica”. Destacou o empenho da equipe e dos professores que “foram solidários com a meta de transformar Araras em uma ‘Cidade Educadora’”
Chefe do Executivo no período de 2015 a 2016, Nelson Dimas Brambilla (PT) analisa o resultado: “Nossa administração fez investimentos de gestão, quer seja na área financeira, propondo melhorias em toda a rede, e também na gestão pedagógica”. Destacou o empenho da equipe e dos professores que “foram solidários com a meta de transformar Araras em uma ‘Cidade Educadora’”

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo está divulgando o  IEG-M (Índice de Efetividade de Gestão Municipal) /TCESP, que é o índice de desempenho da Corte de Contas paulista composto por sete índices setoriais. Araras obteve a média geral B+ nos anos de 2015, 2016 e 2017 e A em Educação, sendo que o IEG-M 2017 foi elaborado com base em informações de 2016.  “Os dados foram colhidos em 2017, por isso o envio dos questionários, balancetes e peças orçamentárias referentes a 2016 ficou sob a responsabilidade das administrações que assumiram o comando dos executivos locais no início deste ano”, traz a publicação.

Os sete índices temáticos que compõem o IEG-M são:

Educação, que reúne informações sobre avaliação escolar, Conselho e Plano Municipal de Educação, infraestrutura, merenda escolar, qualificação de professores, transporte escolar, quantitativo de vagas, material e uniforme escolares.

Saúde – Mede ações com ênfase nos processos realizados pelas prefeituras relacionados à Atenção Básica, Equipe Saúde da Família, Conselho Municipal da Saúde, atendimento à população para tratamento de doenças como tuberculose, diabetes Melittus, hipertensão e cobertura das campanhas de vacinação e de orientação à população.

Planejamento – Verifica a consistência entre o que foi planejado e o efetivamente executado, por meio da análise dos percentuais gerados pelo confronto destas duas variáveis. Neste confronto, além dos aspectos relacionados ao cumprimento do que foi planejado, também é possível identificar a existência de coerência entre as metas físicas alcançadas e os recursos empregados, bem como entre os resultados alcançados pelas ações e seus reflexos nos indicadores dos programas.

IMG-20171013-WA0005Fiscal – Este índice mede o resultado da gestão fiscal por meio da análise da execução financeira e orçamentária, das decisões em relação à aplicação de recursos vinculados, da transparência da administração municipal e da obediência aos limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Meio Ambiente – Ações relacionadas ao meio ambiente que impactam a qualidade dos serviços e a vida das pessoas. Este índice contém informações sobre resíduos sólidos, educação ambiental, estrutura ambiental e conselho ambiental.

Cidade – Reúne informações sobre Plano de Contingência, identificação de riscos para intervenção do Poder Público e infraestrutura da Defesa Civil.

Governança de Tecnologia da Informação – Reúne informações sobre políticas de uso de informática, segurança da informação, capacitação do quadro de pessoal e transparência.

IMG-20171013-WA0001Chefe do Executivo de 2015 a 2016, o período avaliado, o médico Nelson Dimas Brambilla (PT) disse ao Opinião que “no quesito Educação nossa administração fez investimentos de gestão na área financeira, propondo melhorias em toda a rede, construindo novas escolas, creches  e reformando inúmeras escolas, como a construção de quadras cobertas em 25 delas, e também na gestão pedagógica, onde a secretária Beth Cilindri nos ajudou a construir um modelo que consideramos de altíssima qualidade, como o programa Mais Educação, a criação do Índice de Valorização dos Profissionais da Educação (IVPE), a Educação Continuada aos professores, a eliminação de filas nas creches com o Pró-Creche, a informatização nas escolas infantis. Enfim,  os professores que também foram solidários com nossa meta de transformar Araras em uma ‘Cidade Educadora’. Avaliando os índices das demais cidades com Araras, ficamos satisfeitos em colocar a cidade em tão alto patamar”. Brambilla destacou ainda a contribuição da secretária da Fazenda: “A sra. Marizeth Baghin nos ajudou a evitar equívocos, onde não ocorreu praticamente nenhuma observação do Tribunal referente aos convênios e sempre apontando a correção do município, numa área onde ocorrem inúmeros problemas com as prefeituras”, concluindo com um entusiasmado “ Viva a educação”.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*