Uma das aves teve sérias lesões próximo ao bico. (Foto: divulgação)

As aves foram atendidas pelos veterinários do local e passam bem

Duas Araras do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), do projeto Pró-Arara, instalado no Lago Municipal, ficaram feridas ao se assustarem com barulhos causados por fogos de artifício soltados na noite do último domingo (28), após o término das eleições em Araras. As aves foram atendidas pelos veterinários do local e passam bem.

Segundo a veterinária Fernanda Senter Magajevski, responsável pelo local, as aves ficaram alvoroçadas com o barulho dos rojões e também com fumaça causada pelos mesmos. “Elas ficaram bastante agitadas e, inclusive, recebemos ligações de pessoas nos avisando. Ontem pela manhã elas demoraram a descer pra comer, algo que dificilmente acontece, e logo percebemos que no chão do viveiro havia poças de sangue. Ao examinar uma a uma, constatamos que duas araras estavam feridas, sendo que uma delas com lesões mais sérias próximas ao bico. As duas aves foram tratadas e agora se recuperam”, explicou.

Funcionários do Centro Pró-Arara encontram poças de sangue no chão do viveiro onde ficam as aves. (Foto: divulgação)

Fernanda contou que casos como estes acontecem com frequência. “Muitos eventos e movimentações acontecem nos arredores e elas (araras) como estão em cativeiro não tem para onde se esconderem e ficam desesperadas”, disse.

Recentemente foi aprovado em Araras um projeto de lei, de autoria do vereador José Roberto Apolari (PTB), que proíbe a queima e soltura de fogos de artifício classes A, B, C e D, os quais possuem fortes estampidos causando danos principalmente à audição dos animais, a saúde do ser humano, especialmente de crianças, idosos e portadores de autismo, em eventos da prefeitura municipal e festas particulares realizadas em igrejas, clubes, associações entre outras, que dependam ou não de autorização da municipalidade. Vale ressaltar que os fogos classe A, que não possuem estampido e provoca um belo efeito visual continuam sendo permitidos.

Outras notícias

COMPARTILHAR