Cardiologista Agnaldo Píspico é o idealizador do boneco Guizinho
Cardiologista Agnaldo Píspico é o idealizador do boneco Guizinho
Cardiologista Agnaldo Píspico é o idealizador do boneco Guizinho

Doenças cardiovasculares são a principal causa de mortes no Brasil. São 400 mil por ano e metade das vítimas falece em até uma hora a partir da manifestação dos primeiros sintomas. A Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp) estima que ocorram 720 paradas cardíacas no Brasil todos os dias. Em média há uma morte a cada minuto e meio.

Para ressaltar a importância da prevenção e redução do número de óbitos, celebra-se anualmente em 29 de setembro o Dia Mundial do Coração. Convicta de que o conhecimento correto pode salvar vidas, em lembrança da data, a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), realizará gratuitamente neste domingo, dia 17 de setembro, um mutirão de treinamento em ressuscitação cardiopulmonar (RCP). Aproximadamente 3 mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos participarão da ação, que acontecerá das 8h às 17h, no Sayão Futebol Clube, localizado à av. Otto Baretto, 250 – Jardim Sobradinho – Araras – SP. Para participar, os interessados devem apenas comparecer ao endereço.

Os participantes assistirão a vídeos sobre saúde do coração e orientações médicas sobre prevenção e depois participarão do treinamento, que é prático e será realizado com o “boneco Guizinho”. Ao falar do treinamento, Agnaldo Píspico, cardiologista e diretor do Centro de Treinamento em Emergências da Socesp, ressalta que “as chances de sobrevivência são quatro vezes maiores quando o infartado está perto de alguém que seja capaz de realizar massagem cardíaca, pois se perde 10% de chance de vida a cada minuto que o serviço de emergência com o desfibrilador demora a chegar”.

Sobre o Guizinho

Os bonecos usualmente empregados em treinamentos custam caro – cerca de 150 dólares cada um – e podem ser usados até seis vezes no máximo. Para viabilizar treinamentos amplos, foi necessário buscar alternativa econômica e eficiente.
Tal solução atende pelo nome de ‘Guizinho’, um boneco feito com uma garrafa pet tampada e cheia de ar – cuja pressão fica idêntica à do tórax humano –, juntamente com outros materiais reciclados usados para encher a camiseta velha com extremidades grampeadas, que servem de invólucro ao ‘corpo’.
Testes realizados com 200 estudantes em uma escola de Araras (SP) mostraram que o treino feito com o boneco ‘Guizinho’ é tão eficaz quanto aquele realizado com os tradicionais manequins importados. O nome do boneco homenageia seu idealizador, o médico cardiologista Agnaldo Píspico.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*