O Ararense esteve na 105ª Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em Genebra, na Suíça, representando os trabalhadores do Brasil. Crédito: Divulgação
O Ararense esteve na 105ª Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em Genebra, na Suíça, representando os trabalhadores do Brasil.
Crédito: Divulgação

O ararense que é dirigente sindical químico, Sérgio Luiz Leite, conhecido como Serginho e também Presidente da FEQUIMFAR e 1° Secretário da Força Sindical, foi escolhido pelas Centrais Sindicais brasileiras para falar, em nome dos trabalhadores do Brasil, na 105ª Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em Genebra, na Suíça.

A 105ª Sessão da Conferência Internacional do Trabalho é o maior evento global sobre o mundo do trabalho. Teve início no dia 30 de maio de 2016, na sede da ONU, em Genebra, na Suíça, e é realizada anualmente pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O pronunciamento do ararense foi realizado na última quarta-feira, dia 8, e, em sua fala, Serginho ratificou os compromissos do Movimento Sindical brasileiro, com a Agenda Sindical, tomados conjuntamente pelas Centrais, em defesa e por mais direitos para a classe trabalhadora. “A globalização tem sido um processo muito dinâmico, complexo e com dimensões e consequências incalculáveis para os trabalhadores e a sociedade no mundo todo. A Globalização econômica tem gerado riquezas e contribuído de forma substancial para o avanço da ciência, tecnologia e para o desenvolvimento econômico de muitos países. Porém, também têm sido evidentes os efeitos colaterais desastrosos do processo”, citou o ararense em seu discurso.

Serginho também abordou temas como crise econômica, climáticas, humanitárias e imigratórias, junto com o aumento do desemprego. “As guerras e pobreza são um sinal vermelho da gravidade da situação pela qual o mundo está passando. Com certeza o planeta está demandando de um modelo e de governanças nacionais e globais mais assertivas. Neste ano que inicia os preparativos de comemoração do centenário da OIT, os temas e memórias apresentadas pelo diretor Geral, Senhor Guy Ryder são muito importantes e oportunos para o mundo do trabalho”, relata.

Sobre a crise no Brasil e no mundo o Dirigente também trouxe o tema para o discurso e disse que, “Desde o final do ano de 2014 estamos passando por uma grave crise política, econômica e social que atinge a nossa nação com o aumento do desemprego ( hoje são 11,4 milhões de trabalhadores (as) desempregados (as), altas taxas de juros, recessão econômica, aumento da inflação, informalidade, retirada e ataque aos direitos trabalhistas e previdenciários e o declínio do diálogo social. Essa crise tem dividido opiniões da sociedade brasileira, inclusive do movimento sindical e da classe política”, finaliza Sérgio.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*