Basilica  (2)90% da obra de restauração do telhado da Basílica Menor “Nossa Senhora do Patrocínio”, a popular Igreja Matriz de Araras, estão concluídas. De acordo com informações de Darly Buzon, um dos integrantes da Comissão de Restauração, as reformas devem ser concluídas em cerca de dois meses.  

De acordo com o pároco da Basílica Carlos Alberto da Rocha, engana-se quem pensa que a restauração do telhado Matriz – um dos cartões postais da cidade de Araras – começou em novembro do ano passado. “Teve início lá em 1995 com amarração das paredes, colocação de caminhões de concreto na fundação do alicerce, devido aos desgastes causados pelo tempo. Desde então, foi totalmente restaurada em suas telas, pinturas nas paredes e iluminação”, afirma.

Não suportando mais a ação do tempo, sol e chuva, as telhas originais francesas, que têm aproximadamente 135 anos, precisaram ser trocadas em 9 de novembro do ano passado e a obra, agora, está 90% concluída. “Como toda obra de um Patrimônio Público, deve-se começar da fundação. Então, já em 1991, um grupo se organizou para isso, mas em 1995 foi quando foi feito do o trabalho da base da estrutura. Foram caminhões de concreto, pois a igreja estava se abrindo por conta do movimento, mas de fato ela não foi construída para isso nos tempos das carroças e cavalos. Então, foi o primeiro trabalho que foi realizado. Agora, o coroamento disso tudo, que é o telhado, que era necessário, afinal, telhas de 135 anos não tinha mais como deixar”, explicou o pároco em entrevista do telejornal “Opinião da Cidade”, da Rede Opinião de TV.

Toda a restauração do telhado teve que passar pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Araras e a obra tem o custo de, aproximadamente, R$ 200 mil e está sendo concluída com recursos próprios da comunidade católica.

Para Aristides Denardi, membro do conselho econômico da Basílica, desde todas as restaurações, a Matriz recebe uma força muito grande dos fiéis. “Todo dinheiro arrecadado para cada mudança foi por meio da comunidade. Nós fazemos o dízimo, as coletas e doações. Os eventos que são realizados são para isso, deixar a comunidade muito bem”, comentou.

Apesar de toda a mudança em relação às novas telhas na cobertura da igreja, a troca, esteticamente, segundo o pároco, é quase imperceptível. “Graças a Deus nós conseguimos uma empresa que fizesse telhas muito parecidas com as originais da França. Nós vamos guardar algumas como relíquia – que apenas um terço das que são originais já foram trocadas, evidentemente pelo tempo, e o povo também está tendo acesso a elas adquirindo uma telha história e guardando, colaborando com esta grande obra”, explicou.

Cerca de 15 mil telhas foram trocadas e 60% delas, aproximadamente, são originais. Parte foi guardada como patrimônio histórico, as demais devem ser vendidas para arrecadar fundos à própria igreja. “Isso foi uma maneira que encontramos, pois as pessoas pediram. Nós queremos guardar isso e o povo é muito generoso. Também está colaborando com esta grande obra. Tudo isso é uma maneira das pessoas terem este patrimônio, esta beleza e também colaborar com esta obra que é uma das mais belas que temos na região”, finalizou o padre.

Ramon Rossi

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*