Os gastos não pagos pelos caminhoneiros somam o valor de R$237,00 já que as duas carretas estavam com dois eixos cada

Uma dupla de caminhoneiros foi presa na noite da última terça-feira, dia 18, em Araras, os indiciados foram detidos após burlarem a cobrança automática em dois pedágios da região, os homens escondiam as placas dos caminhões ao passarem pelas cabines da empresa Intervias na rodovia Anhanguera (SP-330).

Os caminhoneiros, um de 30 e outro de 44 anos de idade, foram flagrados primeiramente pelo sistema de câmeras de monitoramento da concessionaria na praça de pedágios da cidade de Pirassununga/Sp. “Nas imagens é possível ver os dois caminhões, um seguido do outro, tamparem as placas dianteiras e passando pela cancela da cobrança automática e seguindo em direção a Araras”, diz o boletim de ocorrência por meio de depoimento de um dos funcionários da concessionária.

Os gastos não pagos pelos caminhoneiros somam o valor de R$237,00 já que as duas carretas estavam com dois eixos cada
Os gastos não pagos pelos caminhoneiros somam o valor de R$237,00 já que as duas carretas estavam com dois eixos cada

Com a suspeita de que os caminhoneiros poderiam realizar o mesmo delito no próximo pedágio, na cidade de Leme, o funcionário da Intervias comunicou a Polícia Militar que aguardou a dupla para realizar a prisão em flagrante.

E as suspeitas estavam corretas, a dupla também fraudou as cabines na cidade de Leme/SP, a diferença é que dessa vez a PM já aguardava do outro lado. A abordagem realizada pela Polícia Rodoviária aconteceu já em território ararense e as imagens dos circuitos de segurança puderam provar os caminhoneiros burlando a cobrança.

A dupla foi presa e levada para a Cadeia de Pirassununga, de lá será levada para a Penitenciária Estadual de Itirapina 2 sob a acusação de furto qualificado. De acordo com a administração do trecho da rodovia Anhanguera, os gastos não pagos pelos caminhoneiros somam o valor de R$237,00 já que as duas carretas estavam com dois eixos cada.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*