Conforme informações do Sindsepa (Sindicato dos Servidores Públicos de Araras) mais de 380 funcionários municipais participaram da assembleia geral da categoria realizada em frente do Ginásio de Esportes “Nelson Ruegger” na noite da quarta-feira, dia 28. Os trabalhadores querem aproximadamente 15% de aumento, uma vez que no ano passado não tiveram nada, sendo que apenas foi repassada a inflação.

O presidente do Sindsepa, José Raul dos Santos, afirmou que na assembleia eles iniciaram as discussões em torno do índice que será solicitado junto a administração pública. “Ainda não temos um número porque o balanço das contas só foi divulgado ontem, mas acredito que seja em torno de 15%, pois 6,46% foi a inflação do período e não se discute, e de aumento real queremos ao menos 8%”, ressaltou.

Na pauta da Assembleia constava ainda a alteração do Estatuto dos Servidores, a troca de cesta básica por vale alimentação, tratamento igualitário para servidores do mesmo setor, e treinamentos e EPI’s (Equipamento de Proteção Individual).

Com os trabalhadores da Guarda Municipal foi discutido o regimento interno e plano de carreira, e da Educação o estatuto da categoria que está sendo “concluído” há anos.

Há informações de que o prefeito Nelson Dimas Brambilla (PT – Partido dos Trabalhadores) estaria esperando a Secretaria da Fazenda fechar o mês de dezembro para descobrir quanto suporta o caixa da Prefeitura, o que aconteceu nesta quarta-feira. Entretanto o balanço só foi divulgado ontem, dia 30.

No ano passado foi concedido um reajuste nos vencimentos dos servidores públicos o índice de 5,85%. Conforme justificativa apresentada pelo prefeito, no exercício de 2013 o município teve um gasto geral com a folha de pagamento de seus servidores no montante de R$ 154.981.101,95 e com o reajuste proposto – 5,85% – estimou-se um gasto de R$ 164.050.000,00.

Contudo, foi destacado pelo chefe do Executivo que após a concessão da revisão geral anual, bem como os gastos com novas contratações, o pagamento do Índice de Valorização dos Profissionais da Educação e a progressão salarial, os dois últimos já concedidos, o gasto com a folha de pagamento representaria um total de R$ 169.920.000,00. E tendo em vista que a previsão da Receita Corrente Líquida para o exercício de 2014 é de R$ 344.000.000,00, os gastos com a referida folha representariam 49,39%, estando próximo, mas ainda dentro do limite prudencial de 51,30%. (MGC)

Divulgação Sindsepa
Assembleia dos funcionários públicos municipais ocorreu em frente do Ginásio de Esportes.

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*