Agência de viagens funcionava no Centro da cidade. (Foto: Beto Ribeiro Repórter)

Empresária não devolveu dinheiro pago e vítimas registraram boletim de ocorrência; Polícia Civil investiga caso como estelionato

A Polícia Civil de Araras investiga uma suspeita de estelionato depois que uma agência de viagens faliu. Dezenas de pessoas tiveram a viagem para a Disney, nos EUA, cancelada e até então a empresária Maria Fernanda Cabrini Bernal não devolveu o dinheiro pago.

Dentre as vítimas, uma empresária que não quis se identificar havia fechado contrato com a agência juntamente com seu noivo e sua mãe e contou a reportagem do Opinião as dificuldades que enfrentou. “Nós fechamos a viagem em abril esta agência, pois o valor estava mais em conta, e decidimos pagar parcelado. No entanto, com o passar dos meses ela (empresário) pedir documentos pessoais e dados bancários, além de cobrar o pagamento das parcelas antes mesmo das datas de vencimento. Além disso, pediu para que pagássemos o valor para tirar o visto americano, o qual pagamos a ela. Só que os meses foram passando e a data da viagem, marcada para 4 de dezembro, se aproximando e nada dela marcar o agendamento”, disse. “Em novembro a Fernanda foi para a Disney com um outro grupo e nada do agendamento para tirarmos o visto. Quando a questionamos, ela disse que o problema era o despachante que estava enrolando. Então decidimos procuramos por um parente dela e ele disse que o agendamento não havia sido pago”, completou a empresária.

Empresária, vítima do golpe, mostrou à reportagem do Opinião o contrato do pacote de viagens, com os serviços que seriam prestados

A vítima ainda disse que ao tentar contato via WhatsApp para esclarecimentos sobre o fato, a responsável pela agência decidiu cancelar a viagem para ela. “Eu a cobrei por meio de áudios, enfim, e quando ela me respondeu disse que não iria mais nos levar (noivo e eu) e que iria devolver o nosso dinheiro. Porém ela apenas nos ressarciu com uma pequena parte. Aplicou-nos uma multa por meio de um contrato falso e não nos pagou a diferença do visto, além do restante do valor da viagem cerca de R$ 5,3 mil”, explicou.

No entanto, a mãe e um amigo da empresária não cancelaram o pacote, porém quando chegou a semana da viagem (que ocorreria em 4 de dezembro) eles não haviam recebido a passagem. Quando ligaram para a Fernanda, a mesma disse que a empresa estava falindo e que iria ressarcir os contratantes, o que não aconteceu até então. “Tivemos um amigo cujo prejuízo foi de R$ 13 mil com três pacotes”, disse a empresária que não quis se identificar.

Além de prejuízos com os pacotes de viagens, clientes também tiveram seus nomes ligados a vários empréstimos bancários realizados pela dona da agência. “Meu noivo também acabou envolvido neste golpe e tivemos um prejuízo de mais de R$ 5 mil, além dos outros R$ 5 mil do pacote de viagem que contratamos com ela. No entanto, teve outras pessoas que acabaram lesadas, onde os valores ultrapassam os R$ 18 mil. Estes empréstimos foram realizados por meio de uma loja de colchões, que trabalha junto a uma agência financeira, envolvendo mais de 40 nomes”, afirmou a empresária.

Vários boletins de ocorrência foram registrados na Delegacia de Polícia de Araras por meio dos clientes que pagaram e não conseguiram viajar. O caso é investigado como estelionato, crime que acontece quando alguém age com o objetivo de levar vantagem em cima de outra pessoa.

Outra denúncia também é de que Fernanda teria utilizado o nome de uma agência de São Paulo. O dono desta empresa registrou um boletim de ocorrências em Araras e disse que ela não tinha autorização para isso.

De acordo com informações do Portal G1, a empresária dona da agência já prestou um depoimento e disse para a polícia que a agência estava falindo e por isso não conseguiu realizar as viagens contratadas.

Outras notícias

COMPARTILHAR