O clima entre os vereadores Mário Corrochel Neto – Bonezinho (PP – Partido Progressista) e Francisco Nucci Neto (PMDB – Partido do Movimento Democrático Brasileiro) novamente esquentou, desta vez na sessão camarária de segunda-feira, dia 18. A resposta de um ofício da Secretaria de Saúde gerou o desentendimento.

No último dia 4 de maio o vereador Bonezinho enviou um ofício à Secretaria de Saúde para solicitar informações sobre os exames de ressonância magnética. Sem resposta, o pepista protocolou um requerimento que estava na pauta para ser votado na segunda-feira.

Nesta semana a pasta enviou as informações ao vereador Nucci. “Entrei em contato com a secretária na ocasião e ela me mandou as informações dos exames no consultório. Gostaria de perguntar ao vereador Bonezinho se ele pode retirar o requerimento, já que as informações estão aí, mas é lógico que a decisão é dele”, ressaltou o peemedebista.

Bonezinho questionou Nucci sobre a data em que o pedido foi feito à Secretaria de Saúde. “Levei esse tema à Tribuna da Câmara, não entendo por que respondeu ao senhor, sou presidente da Comissão de Saúde, ela não me respondeu e mandou a resposta ao gabinete do senhor, que na hora em que seria votado falou que tinha as informações (…). Será que errou (Secretaria de Saúde) o endereço? Já que está aí, amanhã a Secretaria tira uma cópia e manda a resposta ao meu gabinete e na Câmara”, disse.

Outros vereadores repercutiram o assunto durante a discussão da aprovação do requerimento, alguns defendendo a indignação de Bonezinho, outros entendendo que a informação já havia sido prestada, motivo pelo qual a solicitação seria desnecessária. O requerimento foi aprovado por seis votos favoráveis.

Nas explicações pessoais Bonezinho retomou o assunto e afirmou que sua luta na Câmara é por atitudes corretas da administração pública e a Comissão da Saúde foi criada para dar respostas à população. “Temos tido uma postura firme ao lado da população nos mais diversos temas. A população vem até nossos gabinetes falar de consultas, de exames e o que a Comissão faz, de uma forma até polida, não é levar as demandas em forma de requerimento para ser votada, mas oficia a Secretaria de Saúde, como no dia 4 de maio e ela não responde”, apontou.

O pepista afirmou que se dedica à população e está sempre atendendo em seu gabinete. “Não votei no dia 28 de dezembro, no apagar das luzes, um Estatuto que prejudicou o servidor, não fui um vice-prefeito que acabou com a merenda dos estudantes, não fui secretário municipal de Saúde que negou medicamentos a pessoas com câncer, isso é muito sério, eu durmo com a consciência tranquila, com ética e honestidade. Continuo lutando pela população de Araras, contra as injustiças e falta de transparência desse governo do PT e do PMDB”.

Nucci, por sua vez, pediu a palavra como líder do Governo. “Eu gostaria de saber do vereador que ele citasse o nome do vice-prefeito e secretário de Saúde que ele disse que negou medicamento, porque isso é deixar a suspeita sobre várias pessoas, quando faz uma acusação tem que ser homem e dizer o nome das pessoas, não se faz acusações vazias. Eu desafio o vereador a dizer o nome dessa pessoa que prejudicou a população. Ele demagogicamente se diz defensor do povo, mas jamais foi discutir assuntos de relevância, sempre se pauta por palavras vazias, sempre se colocando, em detrimento aos demais companheiros da Comissão da Saúde, como quem resolve os problemas. Como pode um indivíduo fazer isso, diante de vocês que fazem parte da Comissão? Desafio o vereador, se ele tem um pouco de hombridade, a dizer o nome do vice-prefeito e secretário de Saúde que negou medicamento a paciente”, esbravejou.

A presidente da Câmara, Magda Regina Carbonero Celidorio (PSDC – Partido Social Democrata Cristão) questionou Bonezinho se ele queria responder sobre o dito e ele disse que não. “Nesta Casa não se pode ligar o microfone e sair falando, acabaram as explicações pessoais, acabou a sessão. O Regimento não foi cumprido”, apontou.

Magda retrucou que como líder do partido o peemedebista poderia falar. Nucci rebateu que seu nome também foi citado. “Não só posso falar, como fui citado, como ele (Bonezinho) fez uma acusação vazia, ele não é homem de dizer o nome, quando um sujeito faz uma acusação dessa seriedade ele tem que ser homem o suficiente para dizer o nome do vice-prefeito e secretário da Saúde, ele não respeita. Quando digo homem não é do sexo masculino, ele não respeita na hombridade, seriedade e no caráter principalmente”, completou.

Bonezinho disse que Nucci não podia desrespeitá-lo. Além disso, ele não citou nome, afirmou também que a presidente da Casa deveria advertir o peemedebista, seguindo o Regimento Interno da Câmara. “Nome, não citei nome, falei de secretário e vice-prefeito que negou medicamento em 2010”. Nucci afirmou que Bonezinho seria levado à Justiça para que falasse o nome de quem ele havia acusado.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*