O último censo ocorreu há dez anos. No Estado de São Paulo são 130 cidades e mais de 220 mil estabelecimentos agropecuários que passarão pela atualização de dados

Recenseadores usarão uniforme, boné e crachá com QR Code conforme mostra a imagem
Recenseadores usarão uniforme, boné e crachá com QR Code conforme mostra a imagem

Começou ontem o Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em todo o País. No estado de São Paulo mais de 220 mil estabelecimentos agropecuários de 130 cidades passarão pelo recenseamento nos próximos cinco meses. Todos que são fonte de subsistência ou que têm fim comercial, além de mais de 8 mil produtores rurais.

Araras faz parte da subárea de Limeira e terá 1.250 propriedades de pequeno, médio e grande portes recenseadas. O último censo agropecuário foi há 11 anos. Serão coletadas informações sobre os trabalhadores, sobre a agricultura, pecuária, as despesas, os rendimentos, dados que vão servir para calcular o PIB (Produto Interno Bruto) municipal e para formulação e implementação de políticas públicas. Segundo o IBGE, as informações coletadas são confidenciais.

Identificação dos recenseadores bone e uniformes com logo do ibge e deverãos estar com o cracha com ep code código que pode ser acessado pela internet e que dá todas as informações sobre o profissional  quando colocar a camera de celular no quierre code vai ser encaminhado par ao site do ibge e lá vai poder confirmar se realmente o recenseador está a serviço do IBGE.

No País

A expectativa é de que os mais de 18 mil recenseadores do IBGE visitem todos os estabelecimentos agropecuários do País, estimados em cerca de 5,3 milhões, entre outubro deste ano e fevereiro de 2018. O lançamento nacional da pesquisa ocorreu ontem (2) na sede do IBGE, no Rio de Janeiro. Como serão cinco meses de pesquisa, nem todas as áreas serão visitadas logo na primeira semana. A expectativa é que isso ocorra progressivamente conforme os recenseadores avancem nos seus setores censitários.

“O dado não é do IBGE. O dado é do informante. Quanto melhor a informação dada ao IBGE, melhor será a estatística que o IBGE vai disponibilizar para a população como um todo. Então, quanto melhor a gente conseguir chegar ao informante, melhor será a informação dada. O IBGE não constrói dado, o IBGE constrói a estatística com base no dado informado pelo informante”, ressaltou Antônio Florido, gerente técnico do Censo.

Identificação por QR Code  

Uma das novidades deste Censo Agropecuário é a possibilidade de confirmar a identidade do recenseador através do QR Code que cada um deles levará no crachá, localizado no lado esquerdo do peito do colete. O código pode ser lido pelo celular e redirecionará diretamente para o site do IBGE, que fará a checagem.

No crachá também poderão ser encontrados outros dados, como o nome completo do recenseador, sua matrícula, identidade e validade das informações ali constantes, além da foto do agente de coleta.

O último elemento de identificação do recenseador é o DMC (Dispositivo Móvel de Coleta) que cada um deles estará portando no momento da aplicação do questionário. O dispositivo é obrigatório, pois é justamente nele onde os agentes registrarão os dados de cada estabelecimento, assim como o georreferenciamento de cada propriedade.

Calendário do Censo Agropecuário 

Coleta de dados: outubro de 2017 a fevereiro de 2018

Apuração e análise dos dados: a partir de março de 2018

Divulgação dos resultados: a partir de maio de 2018

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*