A Secretaria Municipal de Saúde confirmou na tarde de ontem, dia 27, o óbito do paciente, ocorrido no início deste mês, por dengue com complicações. A informação foi divulgada após análises do Instituto Adolfo Lutz.

A Secretaria reitera os cuidados que devem ser adotados por toda a população para o combate à doença – entre eles, eliminar objetos que possam acumular água e se tornar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, o principal transmissor da dengue.

A atenção deve ser redobrada nesta época de crise hídrica, quando o armazenamento de água de reúso é frequente por muitas famílias. Todos os reservatórios devem permanecer completamente tampados e a população pode adicionar à água produtos como cloro, sal de cozinha e água sanitária, em quantidades específicas, para evitar a proliferação do inseto.

O trabalho de combate à dengue foi intensificado pela Secretaria da Saúde nos últimos meses. Um pacote de medidas foi anunciado este mês e já colocado em prática na cidade.

Entre elas, está a aquisição de testes rápidos para agilizar o diagnóstico da doença em pacientes considerados de risco (idosos, crianças, pessoas com outras doenças preexistentes e com sistema imunológico debilitado). Mais duas bombas costais também foram adquiridas para intensificar as ações de nebulização nos locais com casos confirmados. As equipes de controle de endemias também foram reforçadas com agentes comunitários de Saúde.

Toda a rede de PSF foi acionada para coletar sangue para diagnóstico convencional da dengue, sendo que a coleta agora é feita em todo o expediente do posto e não mais só em parte do dia.

Casos passam de 620 em Araras

O último balanço da Prefeitura de Araras revela que os casos de dengue já chegam a 621, sendo 553 autóctones e 68 importados. No total foram realizados 1.391 notificações e 481 pessoas aguardam o resultado dos exames laboratoriais. 289 casos foram negativados.

Na semana passada o juiz da 3ª Vara Cível de Araras, Antônio César Hildebrand e Silva, autorizou que os agentes de saúde da cidade entrassem em um terreno abandonado na Rua General Osório, no Belvedere, para vistoriá-lo e realizar serviços necessários ao combate de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti,transmissor da dengue. A liminar foi concedida após a Prefeitura entrar com ação civil pública na Justiça.

Os testes rápidos para agilizar o diagnóstico de casos da dengue estão disponíveis na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Elisa Sbrissa Franchozza (José Ometto), no Hospital São Luiz e no Centro de Saúde 2 Dr. João Geraldo Noronha (Belvedere). Eles são destinados apenas a pacientes considerados dos grupos de risco, que envolve idosos acima de 65 anos, crianças menores de dois anos e gestantes. (MGC com informações da Secretaria de Comunicação Social e Institucional)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*