Uso de cocaína e álcool, prostituta, motel, um advogado arrependido, dois irmãos gêmeos e uma falsa comunicação de crime foram os ingredientes para uma grande confusão que levou quatro pessoas à Delegacia de Polícia Civil de Araras, na manhã do último domingo (15).

Segundo o boletim de ocorrência, um advogado de 29 anos após conhecer dois irmãos gêmeos de 28 anos, contratar uma garota de programa de 19 anos e levá-los a um motel se arrependeu da situação, depois de se embriagar e também usar cocaína. Como se não bastasse toda a mistura, ele teria ligado para a Polícia Militar alegando que tinha sido assaltado e virado refém. No entanto, foi desmascarado e acabou confessando toda a história para a polícia.

A falsa comunicação de crime, que também é um crime, teve início por volta das 9h de um domingo, momento em que o rapaz parou com seu carro em um  posto de gasolina localizado na avenida Dona Renata (Marginal).

A primeira versão do advogado indicava que ele havia sido abordado por dois homens, que estariam armados e o obrigaram a entrar no carro e dirigir até o Jardim Morumbi, zona leste. Lá, a dupla teria ido ao encontro de uma mulher em um bar, passado em um supermercado para comprar uma garrafa de whisky e só então chegado ao motel, sendo que de lá ele conseguiu comunicar a polícia sobre o ocorrido.

O caso foi registrado na Delegacia de Policia de Araras
O caso foi registrado na Delegacia de Policia de Araras

Essa versão foi dita aos policiais militares, que precisaram invadir o motel para atender ao chamado. Os pms encontraram a suposta vítima ainda na garagem de um dos quartos do motel e, enquanto um dos policiais ouvia o advogado, o segundo pm entrou no quarto, onde encontrou os gêmeos e a jovem. No local, nada de ilícito foi encontrado, apenas a garrada de whisky.

Suspeitando da versão do rapaz, os policiais questionaram os outros envolvidos, ainda mais após perceberem que a então “vitima” não estava totalmente lúcida e parecia estar embriagada. A jovem disse que se encontrou com os três rapazes em um bar na zona leste, confirmando a primeira história de que estaria ali para fazer um programa. No entanto, ela disse que em nenhum momento havia percebido ou presenciado qualquer tipo de ameaça que parecesse um assalto.

Já a versão dos irmãos diz que eles estavam no posto e que o rapaz parou no local e pediu ajuda para encontrar uma garota de programa. De lá, eles partiram para o bar no Jardim Morumbi para encontrar a garota de programa e que, antes de irem ao motel, passaram em um mercado para comprar o whisky. Nesse trajeto, um dos irmãos assumiu a direção do carro, já que o dono do veículo não estava em condições de guiá-lo.

Chegando ao motel, os gêmeos ainda contaram que um deles estava com a garota de programa no quarto e que o outro ficou no carro junto do advogado e que havia entrado na suíte apenas por estar passando mal, momento em que teria sido feita a ligação para a Polícia Militar.

Diante das versões conflitantes, os policiais designaram uma equipe para ir até o posto e conferir as imagens do circuito interno em que poderia ter flagrado a possível abordagem dos suspeitos. Porém, os pms não tiveram acesso às imagens, já que o gerente do posto informou que só na manhã do dia seguinte poderia acessar as gravações.

Na Delegacia, diante do delegado, o advogado mudou a versão. Ele acabou confirmando a história contada pelos irmãos e ainda dizendo que mentiu por “não saber se comportar diante da família por ter bebido e usado drogas”. Todos foram ouvidos e liberados, no entanto, o rapaz responderá em liberdade pelo crime de Comunicação Falsa de Crime.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*