A Prefeitura de Araras abriu tomada de preços (nº 008/2015) para contratar empresa especializada na elaboração do plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos. O encerramento o certame será às 10 horas do próximo dia 21.

No final do mês passado, a reportagem do Opinião Jornal divulgou uma pesquisa que apontava que a gestão correta do lixo e a existência de um plano de gerenciamento de resíduos são elementos fundamentais para que os índices de doenças, entre elas a dengue, diminuam nos municípios.

Araras não possui o plano e enfrente uma epidemia com 1.877 casos (1.753 autóctones e 124 importados) e um total de 3.315 suspeitas notificadas em 2015, dessas 726 foram negativadas e 712 pacientes aguardam exames laboratoriais.

Segundo divulgou o jornal O Estado de São Paulo, com 169 mortes por dengue confirmadas, o Estado bateu até a 15ª semana de 2015 o recorde de óbitos pela doença, segundo boletim epidemiológico mais recente do Ministério da Saúde. Em Araras foram duas mortes até o fechamento desta edição. É o maior número de vítimas em território paulista desde 1990, quando começou o balanço oficial. O boletim, que traz dados até 18 de abril, mostra ainda que o país já vive epidemia da doença, com 745,9 mil casos notificados – quase 5 por minuto.

Um estudo aponta que a gestão correta do lixo e a existência de um plano de gerenciamento de resíduos são elementos fundamentais para que os índices de doenças, entre elas a dengue, diminuam nos municípios. Como exemplo, usaram a cidade de Nazaré Paulista, em São Paulo. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, a cidade possui um Plano de Gestão de Resíduos ativo. Até agora, a região não registrou nenhum caso da doença. O levantamento também mostra que em cidades onde não há um plano de gestão de resíduos, os casos de dengue dispararam.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura na semana passada que informou que no ano passado uma empresa especializada foi contratada para elaborar o Plano que entregou um trabalho que segundo as comissões envolvidas no processo não contemplava os termos de referência da licitação e não atendia os interesses do município, motivo pelo qual foi notificada por duas vezes a empesa e a mesma não sanou tais problemas. “Concedido o pleno direito do contraditório não teve deferidos os seus argumentos. A Prefeitura, amparada em lei, rescindiu o contrato e autuou a empresa, apenou-a perante o Tribunal de Contas do Estado”.

Além disso, a Prefeitura informou que finaliza ainda esta semana novo edital de uma nova licitação para contratação de outra empresa que atenda as necessidades do município. “O novo edital deverá ser publicado em uma semana”, concluiu.

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*