Ainda segundo informações da dona de Brisa, a recuperação é delicada, pois ele terá que ser acompanhada diariamente pelo veterinário pelo menos nos próximos 15 dias
Ainda segundo informações da dona de Brisa, a recuperação é delicada, pois ele terá que ser acompanhada diariamente pelo veterinário pelo menos nos próximos 15 dias

O pior já passou, o momento agora é de recuperação pós cirurgia para a cadelinha Brisa que foi atacada na última quinta-feira, dia 10, por um homem que sem motivo aparente cortou o focinho do animal com uma tesoura de jardinagem. De acordo com a dona de Brisa, Jessimara Cavalcante, a recuperação está sendo boa, porém o cão agora demonstra medo com a aproximação de qualquer pessoa do sexo masculino ou até mesmo quando chamam no portão da residência, local exato em que houve o ataque.

Ainda segundo informações da dona de Brisa, a recuperação é delicada, pois ele terá que ser acompanhada diariamente pelo veterinário pelo menos nos próximos 15 dias. No momento, como a cadelinha está com pontos no focinho ela tem que usar uma espécie de cone que envolve seu pescoço, para que a mesma, instintivamente, não se machuque sozinha, já que animais costumam passar as patas em machucados.

Justiça e boatos
A notícia sobre o ataque à Brisa se espalhou rapidamente pela cidade, já que foi divulgado na imprensa local e também por meio das redes sociais. E assim como foi viralizada a notícia sobre o ataque, também surgiram informações compartilhadas no Facebook de que o autor da tesourada havia sido preso no final de semana. Em contato com a Polícia Civil de Araras, a mesma negou a veracidade, alegando ser um boato.

Solidariedade
Enquanto ainda será julgada a ação do homem que atacou a cadelinha, os custos com medicações e cirurgias do animal precisam ser quitados por alguém. Segundo Jessimara, o veterinário responsável pelo caso cobrou R$1,1 mil, custo esse que está sendo bancado por pessoas que se sensibilizaram com o acontecido e agora querem ajudar. A dona de Brisa também vem organizando rifas e leilões para angariar fundos. Mais informações em seu perfil pessoal do Facebook (Jessimara Cavalcante).

Entenda o caso
A cadela, da raça Pastor Alemão, e “batizada” de Brisa por seus donos, foi atacada enquanto latia para o autor da violência. O animal estava dentro da residência e no momento em que colocou o focinho para fora do portão teve parte dele cortado. Segundo a dona de Brisa, o corte foi tão profundo que a cadela perdeu muito sangue e foi possível enxergar toda a arcada dentária através do ferimento.

Segundo o registro feito na Delegacia de Polícia de Araras, a dona do animal conta que instantes antes do ataque percebeu que seus cachorros ficaram agitados e em certo momento que foi para o lado de fora da casa observou que o autor da “tesourada” estava andando pela rua e que em sua mão existia, além da tesoura, um facão.

Após a mulher retornar para o interior da casa novamente, seus cães ficaram agitados e de novo a dona foi verificar o que estava acontecendo e neste momento flagrou o homem atacando o animal. A mulher ainda conta que Brisa entrou correndo para casa com medo e com dor, já que estava ferida. A dona do cachorro ainda foi atrás do homem na rua, e o mesmo saiu correndo e ainda por cima ameaçou a mulher. “Pare de gritar, senão eu mato você também”, disse a mulher à polícia. Em seguida a vítima comunicou a Polícia Militar que foi até o local e levou todos para a Delegacia de Polícia Civil, já que o autor foi facilmente encontrado por morar nas proximidades.

Na delegacia foi feito um termo circunstancial onde os envolvidos deram seus depoimentos e em seguida tanto os donos do cachorro e também o autor do ataque foram liberados em seguida. De acordo com Lei Ambiental, praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos pode fazer com que o autor possa ser detido de três meses a um ano, e também ser multado.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*