Reportagem do Opinião entrevistou a psicopedagoga Flávia Ribeiro sobre dicas para os pais tornarem essa fase mais tranquila

Nem sempre é fácil. Ao iniciar a vida escolar, muitas crianças estranham a nova rotina. É preciso paciência para lidar com as mudanças e encarar o novo ambiente longe dos pais.

A reportagem do Opinião entrevistou a psicopedagoga Flávia Ribeiro sobre dicas para que os pais saibam lidar com essa fase e torná-la mais tranquila ao aprendizado da criança.

Flávia sugere que os pais falem das qualidades que os filhos verão no novo ambiente. “O choro é normal no período de adaptação da criança, seja na creche ou na escola, pois é um lugar novo e com diversas pessoas estranhas. Então, é necessário que os pais possam passar tranquilidade aos filhos explicando como será o local de estudo, falando dos novos amiguinhos e também da professora que irá ensinar coisas novas”, explica.

Segundo a profissional, a fase para o início da vida escolar depende da necessidade dos pais. “A idade mais indicada é entre um ano e meio a dois anos de idade, quando a criança já é capaz de interagir e socializar com as demais. No entanto, o início da vida escolar do aluno está relacionado à necessidade dos pais devido à rotina de trabalho e, desse modo, as creches e berçários estão preparados para acolher estes pequenos”, aponta. “Porém, vale ressaltar que a idade obrigatória para o ingresso no ensino infantil é aos quatro anos, segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional”, conclui.

escola
Para que as crianças se sintam mais tranquilas, é recomendável que os pais falem das qualidades que os filhos verão no novo ambiente

Ela ainda ressalta aos pais a importância da escolha da escola que a criança irá frequentar. “A escolha deve ser feita de forma consciente pela família. Os pais ainda devem verificar se a escola que a criança irá frequentar está preparada para recebê-la, pois neste momento o local passa a fazer parte da rotina do aluno e ele integrará um grupo, criando novos vínculos com professores e colegas, além de enfrentar novos desafios de maneira prazerosa e positiva explorando um novo universo fora do ambiente familiar”, explica.

Flávia recomenda também que, ao colocarem os filhos nas escolas, os pais verifiquem se o local permite a permanência deles durante a fase de adaptação. “No início, é primordial a presença dos pais, mas no decorrer dos dias eles devem diminuir esta presença gradativamente para que a criança não fique inibida a realizar atividades e se comunicar com os colegas”, salienta. “É válido lembrar que a parceria da escola com os pais deve ser uma constante para que essa adaptação seja sem sofrimento para ambas as partes, uma vez que os pais tendem a demonstrar sua angústia e insegurança aos filhos, tornando esse momento de separação mais complexo.

Nos demais momentos de transição da vida escolar, como do Ensino Infantil para o Ensino Fundamental e depois para o Médio, as crianças já entendem melhor o processo e sabem verbalizar seus anseios. Isso facilita a compreensão para elas, que passam a criar laços, reconhecem seus espaços e trabalham de forma mais efetiva em sua própria integração.

Outras notícias

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*