O vazamento de água durou das 8 às 15 horas até ser consertado pelo Saema

Uma perda abundante na rede de água foi flagrada pela reportagem do Opinião Jornal ontem, dia 20, em Araras. Após um cano ser furado acidentalmente por trabalhadores na calçada de uma construção particular, o Saema (Serviço de Água e Esgoto Municipal de Araras) demorou cerca 7 horas para realizar o reparo desde que foi avisado. O incidente aconteceu na rua Frei Galvão na região central da cidade.

O vazamento de água durou das 8 às 15 horas até ser consertado pelo Saema
O vazamento de água durou das 8 às 15 horas até ser consertado pelo Saema

A reportagem foi avisada por um comerciante local de que havia um vazamento de água em uma calçada em frente a uma construção, além disso, o popular também disse que já havia ligado para a autarquia por volta das 9 horas, mas que até então nada havia sido feito (era 13 horas no momento). De acordo com os operários que teriam causado o rompimento do cano, o acidente aconteceu por volta das 8 horas. “Tentamos fazer o reparo, mas não conseguimos e então avisamos rapidamente ao Saema, mas o reparo só foi feito às 15 horas”, disse o homem que preferiu não se identificar. Ainda segundo os trabalhadores mais cedo um funcionário da autarquia esteve no local, mas apenas averiguou o vazamento e foi embora em seguida.

Questionados sobre a demora no reparo da rede de distribuição da água, o Saema, por meio da Prefeitura disse: “os funcionários do Saema estiveram na rua Frei Galvão e constataram que o caso envolvia vazamento na rede de ligação, ocorrência comum atendida pela autarquia e que envolve pequeno volume de água. Como a tubulação da rua é antiga e ainda de ferro, foi necessário acionar a equipe de manutenção específica, que possui ferramentas e máquinas próprias para consertos deste tipo de material. A equipe estava empenhada em outra ocorrência, mas, assim que finalizou este trabalho, foi até a rua Frei Galvão e realizou os reparos necessários no local”, disse a autarquia.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*