Sonia Antigo (chefe de Gabinete), Ricardo Franco (secretário de Governo e Relações Institucionais), Rubens Franco Junior (presidente do Saema), prefeito Pedro Eliseu Filho (PSDB), deputado federal Nelson Marquezelli (PTB) e Valentim Viola, proprietário do Grupo Opinião – TV e Jornal
Sonia Antigo (chefe de Gabinete), Ricardo Franco (secretário de Governo e Relações Institucionais), Rubens Franco Junior (presidente do Saema), prefeito Pedro Eliseu Filho (PSDB), deputado federal Nelson Marquezelli (PTB) e Valentim Viola, proprietário do Grupo Opinião – TV e Jornal
Sonia Antigo (chefe de Gabinete), Ricardo Franco (secretário de Governo e Relações Institucionais), Rubens Franco Junior (presidente do Saema), prefeito Pedro Eliseu Filho (PSDB), deputado federal Nelson Marquezelli (PTB) e Valentim Viola, proprietário do Grupo Opinião – TV e Jornal

O deputado federal Nelson Marquezelli (PTB) visitou ontem (18) a Prefeitura. Na oportunidade, o prefeito Pedrinho Eliseu (PSDB) recepcionou o parlamentar, já planejando a visita que fará em Brasília na semana que vem. “Muito importante o nosso encontro de hoje, pois alinhamos nossa ida ao Planalto Central com o deputado, que será nosso anfitrião na Capital Federal. Temos mais de 30 pedidos já protocolados em cinco ministérios e essa ajuda dele para com Araras é de suma importância”, destacou Pedrinho.

Outro assunto que conversamos, e que o deputado vai nos ajudar, foi sobre o projeto de lei (aprovado pela Câmara dos Deputados) que criou o Programa de Financiamento Preferencial às Instituições Filantrópicas e Sem Fins Lucrativos (Pró-Santas Casas) que participam de forma complementar do Sistema Único de Saúde (SUS”, destacou Eliseu. Estavam presentes no encontro o proprietário da Rede Opinião de TV, Valentim Viola, o secretário de Governo, Ricardo Franco, a chefe de Gabinete, Sônia Antigo e o presidente do Saema, Rubens Franco Junior.

Entenda o que é o Pró-Santas Casas

Pela medida, as instituições terão crédito mais barato por meio de empréstimos concedidos por bancos oficiais, com juros subsidiados pelo governo. O projeto estabelece que os bancos oficiais tenham linhas de crédito direcionadas a hospitais e Santas Casas que atendam a pacientes do SUS. Os empréstimos terão encargos financeiros máximos de 1,2% ao ano. O limite de crédito para cada hospital será equivalente a 12 meses de faturamento dos serviços prestados ao SUS ou ao valor da dívida das instituições com operações financeiras – a opção que for menor.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*