A 1ª campanha de doação de sangue do ano em Araras, que aconteceu no último sábado, dia 23, coletou 78 bolsas do material. A ação foi organizada pela Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com o Hemonúcleo de Piracicaba. Ao todo, 118 voluntários compareceram ao local, porém 48 foram bloqueados durante a triagem.

Após a doação, o material é submetido a exames laboratoriais antes de ser disponibilizado aos pacientes. Caso haja alterações, o Hemonúcleo enviará correspondência notificando o doador. “Essa primeira campanha do ano foi muito positiva, mesmo sem alcançar a meta inicial de 130 doadores. Sabemos que mobilizar mais de 100 voluntários em um sábado de manhã é difícil, por ser um dia de descanso para muitos. Por esse motivo, gostaria de agradecer a todos os doadores que participaram desta primeira ação. Espero que nas próximas, a mobilização seja ainda maior”, agradeceu a secretária de Saúde, Vandersi Pavan Bressan.

De acordo com o cronograma estabelecido pela Secretaria de Saúde, mais seis campanhas serão realizadas neste ano. A próxima ação está prevista para o dia 20 de fevereiro; as demais para os meses de maio, julho, agosto, outubro e dezembro.

Em 2015, nas sete campanhas realizadas, foram coletadas 642 bolsas.

 Ao todo, 118 voluntários compareceram ao Sesi de Araras, no último sábado
Ao todo, 118 voluntários compareceram ao Sesi de Araras, no último sábado

Campanha de Combate à Hanseníase começa dia 27

A Campanha Nacional de Combate à Hanseníase começa amanhã, dia 27, e segue até o dia 31, data em que se comemora o Dia Mundial de Luta contra a doença. A Secretaria Municipal de Saúde prepara ações em unidades de saúde de Araras, coordenadas pela Vigilância Epidemiológica.

Em todos os postos, segundo a enfermeira Joana Freitas, responsável pelo setor de combate à doença, serão realizadas atividades como busca ativa, distribuição de cartazes e folhetos informativos, além de palestras. “Todos devem ficar atentos, pois hoje em dia a doença ainda é difícil de se identificar. Por isso, reforçamos que as pessoas devem observar eventuais manchas avermelhadas ou esbranquiçadas que possam aparecer na pele. Em caso de dúvida, deve-se procurar o posto de saúde mais próximo”, comentou.

A hanseníase é uma doença infectocontagiosa causada pelo bacilo de Hansen (Mycobacterium leprae), um parasita intracelular que apresenta afinidade pelas células da pele e por células dos nervos periféricos. Os sintomas da doença são manchas dormentes pelo corpo, placas, caroços, inchaço, fraqueza muscular e dores nas articulações, lesões na pele e nos nervos periféricos, principalmente nos olhos, mãos e pés.

A transmissão acontece por meio de pessoas que apresentam a forma infectante da doença (multibacilar – MB) e que, estando sem tratamento, elimina o bacilo por meio das vias respiratórias (secreções nasais, tosses, espirros), podendo assim infectar outras pessoas suscetíveis. O bacilo de Hansen tem capacidade de infectar um grande número de pessoas, mas poucas adoecem porque a maioria apresenta capacidade de defesa do organismo contra o bacilo.

Para a secretária Vandersi Pavan Bressan, apesar das constantes informações divulgadas a respeito da doença, a procura por diagnóstico e tratamento ainda é um problema. “A hanseníase tem cura. O maior desafio apresentado pelas equipes de saúde é conseguir detectar os focos de infecção e iniciar o tratamento precocemente. Por esse motivo, quanto mais informações sobre a doença as pessoas possuírem, mais rápida ela pode ser tratada”, afirmou.

(Com informações da Secretaria de Comunicação Social e Institucional)

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*