Emei Leni de Oliveira, localizada no Parque Industrial foi furtada duas vezes, onde teve peças de roupas, botijão de gás, além de alimentos para merenda e produtos de limpeza subtraídos. (Foto: Arquivo)

Ao todo, quatro unidades foram alvos de criminosos nos últimos sete dias, sendo uma delas invadida duas vezes

Duas creches da rede municipal foram furtadas novamente em Araras, sendo uma delas pela segunda vez em menos de cinco dias. Na ação foram subtraídos materiais escolares, peças de roupas e um botijão de gás.

Segundo informações de dois boletins de ocorrência registrados na Delegacia de Polícia, uma das unidades, a Emei Leni de Oliveira, localizada no Parque Industrial, teve uma das janelas arrombadas e peças de roupas, além de um botijão de gás subtraídos. Esta é a segunda vez que a escola é alvo de criminosos – no último dia 11 foram furtados alimentos utilizados para merenda dos alunos e produtos de limpeza.

Já na Emei “Prof. Paulo Roland Lordello”, localizada no Jardim Itamaraty, materiais escolares foram levados. A unidade teve uma das janelas arrombadas.

Ao todo já são quatro furtos em escolas infantis registrados em 2019. No último dia 8, a Emei “Luiz Henrique Borelli”, no Jardim Morumbi, também foi invadida e teve a merenda das crianças subtraída.

Ações de segurança

Para tentar impedir que crimes como estes continuem acontecendo, os secretários municipais de Segurança Pública e de Educação, Marcos Buzolin Gonçalves e Mariana Mani Moura, se reuniram na última semana para buscar soluções a fim de resolver o caso. “Vamos estudar uma forma de instalarmos alarmes, câmeras e ofendiculos (artefatos de defesa) nos muros das escolas. No entanto, o monitoramento de alarme e câmeras ainda vamos definir se o Vepam (Vigilância Eletrônica Patrimonial do Município de Araras) irá fazer o monitoramento e assim acionar as forças policiais”, explicou o secretário de Segurança. “O policiamento ostensivo está sendo executado, porém o furtador age sorrateiramente, ou seja, no momento que percebe uma oportunidade para poder executar o crime. Pedimos a população, que ao notarem qualquer ação suspeita que acionem a Guarda Civil Municipal e Polícia Militar através do 153 ou 190”, finalizou Buzolin.

Outras notícias

COMPARTILHAR