Uma veterinária da Prefeitura constatou que o cavalo estava muito debilitado e maltratado e disse que ainda fez os primeiros atendimentos no local, porém o equino não resistiu e morreu Crédito: reprodução Facebook – Luana Creonice Frasson
Uma veterinária da Prefeitura constatou que o cavalo estava muito debilitado e maltratado e disse que ainda fez os primeiros atendimentos no local, porém o equino não resistiu e morreu
Crédito: reprodução Facebook – Luana Creonice Frasson

Vídeos do cavalo agonizando até a morte na zona leste de Araras, na última quinta-feira, dia 22, circularam e chocaram diversos internautas da cidade. Informações policiais apontam que o animal, instantes antes de sua morte, estava sendo usado para “arrastar” uma carroça com materiais reciclados pelas ruas e que o motivo de sua morte seriam maus tratos.

Coincidentemente, a morte do cavalo aconteceu exatamente horas antes do início de uma audiência pública para colocar em discussão o projeto de lei de iniciativa popular da “Associação Sempre a Seu Lado” que dispõe dobre a proibição de uso de veículos de tração animal e exploração animal para tal fim na zona urbana do município de Araras. O evento foi promovido pela Comissão Permanente de Legislação Participativa da Câmara Municipal de Araras.

 

Morte do Cavalo

De acordo com a Guarda Municipal de Araras, em registro de boletim de ocorrência que a reportagem do Opinião Jornal teve acesso, GMs foram chamados até a rua Jarbas Leme de Godoy, no José Ometto, sob denúncias de que dois homens estariam maltratando um cavalo no meio da rua. Chegando lá os guardas encontraram o cavalo no chão agonizando de dor e os donos do animal estavam sentados próximo a ele.

Ainda segundo a Guarda, os dois homens disseram que estavam caminhando pela rua “catando reciclagem” até que o animal caiu no chão e não levantou mais. Os GMs ainda informaram o setor de Zoonoses da Prefeitura de Araras, que foi até o local, e a veterinária de plantão, constataram que o cavalo estava muito debilitado e maltratado e que ainda fez os primeiros atendimentos no local, porém o equino não resistiu e morreu.

Os dois homens foram indiciados pela prática de abuso de animais e podem ser presos ou pagarem multas.

 

Audiência Pública  

A audiência pública foi presidida pelo vereador Marcelo de Oliveira (PRB), e contou com a participação da vereadora Anete Monteiro dos Santos Casagrande (PSDB) e do vereador Valdevir Carlos Anadão, Professor Dê (PT), presidente e membros da Comissão, além de representantes da Associação Sempre a Seu Lado, proponente do projeto, e de representantes de cavaleiros de Araras.

Ficou decidido durante a reunião que o grupo de cavaleiros se organizará em uma comissão e em conjunto com a entidade de proteção animal vão adequar a proposta para que corresponda os anseios de ambas as vertentes Crédito: Imprensa/CMA
Ficou decidido durante a reunião que o grupo de cavaleiros se organizará em uma comissão e em conjunto com a entidade de proteção animal vão adequar a proposta para que corresponda os anseios de ambas as vertentes
Crédito: Imprensa/CMA

A proposta foi enviada ao Poder Legislativo no mês de abril pela Sempre a Seu Lado, com 233 assinaturas de eleitores ararenses. A Comissão Permanente de Legislação Participativa tem a função de receber as sugestões de interesse da comunidade e colocá-las em discussão, dando espaço para opiniões dos moradores da cidade.

Representando a Associação Sempre a Seu Lado, a presidente Rose Mary Coser, usou a tribuna para explicar a sugestão e destacar que a entidade estaria aberta para o diálogo e avançar na proposta “O nosso problema está com as pessoas que utilizam o animal para trabalho forçado, que sofrem com a sobrecarga e realmente precisamos da ajuda de todos para fazer com que essas pessoas cuidem de seus animais”, destaca.

Também ocupou a tribuna, representando os cavaleiros presentes, Alexandre Matioli, que pontuou: “Eu e cada um que estamos aqui nos propusemos a ajudar a fiscalizar os maus tratos. Quem tem um cavalo hoje tem porque cuida e ama esses animais”.

Ficou decidido durante a reunião que o grupo de cavaleiros se organizará em uma comissão e em conjunto com a entidade de proteção animal vão adequar a proposta para que corresponda os anseios de ambas as vertentes do tema. O grupo também contará com auxílio dos integrantes da Comissão que se colocaram a disposição para auxiliar na formulação do novo projeto de lei.

O presidente da comissão, vereador Marcelo de Oliveira, destacou que “Foi muito proveitosa a audiência, uma participação importante de todos os presentes, ótimas ideias surgiram e a mobilização mostrou que todos estão preocupados com os animais e não toleram os maus tratos”.

A vereadora Anete Casagrande, que compõe a Comissão pontua: “Considero que a audiência pública cumpriu o seu papel, ao abrir um importante canal de diálogo entre os protetores dos animais e os cavaleiros, além de sensibilizar o Poder Público para o tema. Com a união de forças, acredito que finalmente Araras poderá avançar na questão dos carroceiros”.

Já o vereador Professor Dê, que também integra a Comissão comenta: “A audiência pública cumpriu o seu objetivo de ouvir a população da forma mais democrática possível, respeitando os diferentes pontos de vista e procurando as melhores propostas que indicaram a necessidade de um regramento e fiscalização do poder público para evitar os casos de maus tratos aos animais utilizados como instrumento de trabalho e renda por algumas pessoas do nosso município. Todos estão de parabéns pelo saudável debate democrático”.

(Lucas Neri com informações da assessoria dos vereadores Anete Casagrande, Professor Dê e Marcelo de Oliveira).

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*