Toda aquela chuva que deixou de vir desde o ano passado em Araras parece ter aparecido. Esse final de semana foi o que chamou mais a atenção, entre sábado e domingo choveu 69,1 milímetros o que fez com que, novamente, provocasse alagamentos em diversos trechos da cidade, entretanto também serviu para encher e até extravasar duas represas na cidade.

obras
As chuvas fizeram estragos no interior das próprias obras do PAC, que ficam nas proximidades do Condomínio Residencial Samantha

De acordo com a Defesa Civil de Araras e também relatos de moradores e internautas das redes sociais, os principais pontos de alagamentos em Araras continuaram sendo nas proximidades da extensão da avenida Dona Renata (Marginal). Ainda conforme a Defesa Civil o escoamento da água acumulada nesses pontos foi rápido devido as obras do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento).

Alguns registros de quedas de árvores também foram feitos por esses internautas, e até desmoronamento de parte das obras do PAC 2 foram fotografados e publicados em páginas e comunidades de Araras no Facebook
Alguns registros de quedas de árvores também foram feitos por esses internautas, e até desmoronamento de parte das obras do PAC 2 foram fotografados e publicados em páginas e comunidades de Araras no Facebook

Alguns registros de quedas de árvores também foram feitos por esses internautas, e até desmoronamento de parte das obras do PAC 2 foram fotografados e publicados em páginas e comunidades de Araras do Facebook.

Uma das fotos mostra um desmoronamento de um barranco nas proximidades das obras do PAC, além disso, o mesmo autor das fotos, Orlando Zanobio, registrou estragos causados pela chuva no interior das próprias obras, que ficam nas proximidades do Condomínio Residencial Samantha.

Segundo a Secretaria Municipal de Planejamento, erosões causadas pela chuva ou mesmo queda de árvore sobre a área que atualmente está recebendo intervenções são previstas pela empresa responsável. Trata-se de obra no interior da calha do ribeirão e, portanto, os serviços já preveem alguns danos em caso de chuva forte. A empresa tem condições de fazer as correções de tais problemas para que os serviços fluam normalmente, sem prejuízo ao projeto.

Além de muita água vinda dos céus, nesse final de semana as chuvas foram acompanhadas de fortes ventos e também raios trovões. Segundo moradores, diversos pontos da cidade sofreram com falta momentânea de energia, inclusive parte da praça Barão de Araras que ficou escura por parte da noite, retardando até um casamento que teve ser adiado por algumas horas. A cerimônia acontecia na Basílica Menor de Nossa Senhora do Patrocínio em Araras (Matriz).

 

Muita água

O mês de novembro está acima da média inclusive dos últimos quatro anos na cidade, com as chuvas desse final de semana foram contabilizados 293,8 milímetros no penúltimo mês do ano.  O resultado disso, tirando os estragos, foi positivo com relação à crise hídrica que Araras enfrenta há mais de um ano, já que represas foram beneficiadas com seus níveis subindo

Nesse sábado, dia 28, foram registrados pelo Saema (Serviço de Água e Esgoto do Município de Araras) 60,4 mm de chuva, no domingo 8,7mm. O que fez com que as represas do Tambury e Santa Lúcia enchessem 100%, inclusive a Santa Lúcia, que extravasou seu limite, um dos motivos para que os ararenses puderam ver o Ribeirão das Araras com intensa quantidade de água para um dia não chuvoso nessa ontem, 30.

Além das duas represas que atingiram seu limite máximo, as intensas chuvas de novembro serviram ainda para a recuperação da Hermínio Ometto, que atingiu nesse domingo, dia 29, 95% de seu limite e a Água Boa com 45%. “Isso é ótimo para cidade, essas chuvas estão sendo providenciais para a recuperação de Araras. Com elas poderemos até deixar de usar uma das bombas que puxa água do Rio Mogi Guaçu e com isso economizar energia”, explica Felipe Beloto, presidente do Saema, que inclusive completa hoje, dia 1º, um ano desde que assumiu o comando da autarquia.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Engraçado, o SAEMA continua cobrando dos ararenses o minimo, mas pode desligar bombas do mogi guaçu para economizar!
    Gente, quem mais desperdiça água em Araras é o próprio SAEMA e a população que é a culpada…
    Desligar bomba pode, mas parar de aplicar as multas não… engraçado não????

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*