Funcionários da Fundação Itesp (Instituto de Terras do Estado de São Paulo) estão em estado de greve. Dos 14 funcionários, 10 aderiram ao movimento da categoria, e na manhã de ontem, dia 30, eles se manifestaram em frente do órgão na cidade.

A regional de Araras conta atualmente com 14 funcionários que atendem atualmente aproximadamente 900 famílias, distribuídas entre 414 lotes nos assentamentos de Araras, Ipeúna, Mogi-Mirim, Cordeirópolis, Casa Branca, Itapeva, Sumaré e Franco da Rocha.

Manifestação em frente do Itesp de Araras
Manifestação em frente do Itesp de Araras

Dentre as demandas prioritárias apresentadas na pauta de reivindicações estão: reposição salarial de 40,27%, Aumento do vale alimentação/refeição de 100%, Licença-maternidade de 180 dias e Reformulação Urgente do Plano de Cargos e Salários. “A defasagem salarial refere-se ao período de julho de 2001 a setembro de 2004, pois ficamos sem reposição, o que representa uma perda de 33,62%, somado ao índice do último ano que é de 6,65%”, afirmaram os grevistas.

A Itesp é a entidade responsável pelo planejamento e execução das políticas agrária e fundiária do Estado de São Paulo, assim como o reconhecimento das Comunidades de Quilombos. É vinculada a Secretaria de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania.

Atuando em todo o estado de São Paulo, o Itesp tem como objetivo promover a democratização do acesso à terra, em benefício de trabalhadores rurais sem-terra ou com pouca terra, quilombolas, posseiros, implementando também políticas de desenvolvimento sustentável para as comunidades com as quais atua. Mais do que uma política de reforma agrária, o que o Itesp busca é atuar de modo social – permitindo o resgate da cidadania destes trabalhadores, com vistas ao desenvolvimento humano, social e econômico.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*