Após horas de negociações o Governo Municipal oferece reajuste de 8% aos servidores públicos municipais de Araras. A reunião de representantes do Sindsepa (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Araras) com o prefeito Nelson Dimas Brambilla (PT – Partido dos Trabalhadores) terminou no início da noite de ontem, dia 30. A categoria deve votar se aceita ou não o percentual em Assembleia às 8 horas de hoje, dia 31. A reportagem do Opinião não conseguiu contato com o Sindicato até o fechamento desta edição.

Reunião aconteceu na tarde desta segunda-feira

Caso aceito o reajuste não será repassado integralmente agora. Será calculados um sobre o outro, os percentuais que totalizam 8% serão aplicados em duas parcelas  – 7% retroativos a 1º de março – a data base da categoria – e 0,9% em novembro próximo.

O Projeto de Lei do reajuste, se aprovado pela categoria, será enviado para a Câmara Municipal esta semana, e após aprovação do Legislativo, a diferença salarial gerada pelo percentual será paga na folha de abril, já que o pagamento de março está sendo depositado nesta terça-feira aos servidores.

Segundo informações do Governo, os dias de paralisação não serão descontados desde que haja reposição em até 180 dias, que será definida em cada secretaria. “Acabamos chegando a um entendimento e aceitando praticamente a proposta que o sindicato nos trouxe, já que eles chegaram para a reunião da manhã propondo 8,5% para chegarmos a um acordo”, contou Brambilla, após o fim das negociações.

A reunião da tarde durou cerca de três horas, com um intervalo de alguns minutos e a redação de um documento conjunto, uma ata consignando todos os pontos do acordo, que incluem diversas alterações no Estatuto do Servidor Público Municipal.

Servidores reunidos na Praça Barão durante a reunião

Outro ponto reivindicado e que é considerado dos mais importantes pelo Sindsepa, segundo declarado ao governo nas negociações, é a constituição de uma comissão para avaliar a legalidade e a viabilidade técnico-financeira para que os descontos previdenciários – recolhidos para a Araprev – não incidam sobre verbas não permanentes – horas extras e outras.

Para o prefeito Brambilla as negociações demonstram o espírito democrático da administração. “Nós estávamos dialogando há tempos, demonstrando as contas municipais, numa conversa franca e responsável. Demonstramos ao sindicato que para conceder reajuste acima da inflação, nesse período dificílimo da economia, será preciso sacrificar inclusive investimentos. Sempre lembrando que desde que chegamos ao governo, nós buscamos sempre valorizar a categoria”, disse ele.

Caso a categoria não aprove o dissídio, nesta quarta-feira, dia 1º, às 14 horas o valor será levado a Justiça durante a audiência conciliatória.  Porém será válida a proposta anterior.

 

Negociações

Na manhã de ontem, dia 30, o Governo se reuniu com representantes do Sindsepa visando um acordo que colocasse fim à greve da categoria, deflagrada na última quarta-feira (25).

Balanço parcial emitido pela Secretaria Municipal de Educação na manhã de ontem apontava que a adesão à greve no setor era de quase 60% dos professores do ensino fundamental, e de 46% entre demais servidores das escolas de 1º ao 9º ano. Balanços do ensino infantil e de demais setores poderão ser divulgados à tarde.
Ônibus irregulares

A Polícia Militar de Araras recolheu dois ônibus do TCA (Transportes Coletivos de Araras) que estavam trafegando irregularmente a garagem da autarquia. A abordagem ocorreu na manhã de ontem, por volta das 9h30, quando servidores municipais em greve bloquearam a passagem, na Rua Cristovão Colombo, não permitindo que estes prosseguissem no itinerário. Os carros, das linhas Parque das Árvores e Jardim Sobradinho, se dirigiam ao Terminal Urbano.

O comandante da PM de Araras, Roney Alexandre de Lima, afirmou que ao ser acionado foi até o local e quando chegou a rua já estava fechada. “Foi feito um boletim de ocorrências, autuamos os veículos e escoltamos até a garagem”, explicou.

A reportagem do Opinião Jornal entrou em contato com a Prefeitura de Araras para ouvir a versão do fato. “Os dois veículos que foram alvo dos questionamentos foram removidos do local para liberar o tráfego, escoltados por uma guarnição da Polícia Militar. Após a retirada dos veículos, a rua foi desinterditada e nenhum incidente ocorreu. O caso ocasionou atraso de cerca de uma hora nas duas linhas”.

 

Partido dos Trabalhadores

A reportagem recebeu informações de que o Diretório Petista emitiu uma Resolução Interna ao prefeito Nelson Dimas Brambilla (PT – Partido dos Trabalhadores) na qual manifestava-se ao lado dos grevistas e solicitava um aumento acima do oferecido anteriormente aos servidores.

A fonte informou ainda que o documento iria ser entregue ao chefe do Executivo na manhã de ontem, dia 30, antes da reunião com o Sindicato marcada para às 10 horas.

O Diretório votou pela aprovação da Resolução por unanimidade, com a ausências de Leo Teodoro Gurnhak e do prefeito Brambilla.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*