O corpo do GM Jairo foi sepultado sob homenagens de seus colegas de profissão Crédito: Lucas Neri
O corpo do GM Jairo foi sepultado sob homenagens de seus colegas de profissão Crédito: Lucas Neri

O crime que chocou a cidade na noite da última terça-feira, dia 17, não deixa dúvidas de que foi uma execução a sangue frio. De acordo com relatos no boletim de ocorrência do assassinato do Guarda Municipal Jairo Armando Cristofoletto, de 45 anos de idade, o autor do crime efetuou 13 disparos contra a vítima, sendo que 11 acertaram o corpo do GM que estava de folga no momento do crime e morreu ainda no local.

Outra informação, que também chama a atenção no homicídio, foi a frieza do assassino. Segundo uma testemunha, um amigo de Jairo, que no momento do crime conversava com o GM em frente à casa da vítima, os dois homens chegaram em uma motocicleta Honda Biz de cor preta próximo a eles, sendo que o criminoso que estava na garupa da moto desceu pediu para que a testemunha se afastasse de Jairo e então deu início aos disparos, fugindo logo em seguida.

Informações não oficiais deixam claro de que a Polícia Civil, que investiga o caso, já identificou o autor do crime. Relatos nas redes sociais até divulgam o possível assassino do GM, entretanto nenhuma dessas informações foi confirmada oficialmente tanto pela Guarda Municipal ou pelas polícias Militar e Civil.

A Prefeitura Municipal de Araras divulgou na manhã de ontem uma nota sobre a morte do servidor público. “A Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Civil e a Prefeitura de Araras lamentam o ocorrido, informam que estão prestando assistência à família e contribuindo com as investigações sobre o caso”, diz a nota enviada à imprensa. Jairo era casado, tinha 7 filhos e há 17 anos era guarda municipal em Araras. Seu corpo foi sepultado no final da tarde de ontem, dia 18, no Cemitério Municipal de Araras. No local havia grande movimentação de Guardas Municipais de cidades da região, policiais militares e civis. Durante o sepultamento houve comoção e até uma homenagem da banda da GM. Momentos antes do caixão em que estava Jairo ser enterrado, o secretário de Segurança Pública e Defesa Civil de Araras falou ao público presente. “Hoje é um dia de tristeza para a família, amigos e a corporação da Guarda Municipal de Araras. Esse crime não é só contra a Guarda e sim contra toda a sociedade e pessoas de bem. Continuaremos a trabalhar e combater a criminalidade”, discursou General, como é conhecido.

(Lucas Neri)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*