Vítima, Paulo Lázaro da Costa, de 49 anos, foi encontrado caído no chão da cozinha de sua casa com ferimentos e perfurações pelo corpo. (Foto: Arquivo pessoal)

Caso foi registrado como latrocínio, que é o roubo seguido de morte; autora confessou o crime

 

Um homem de 49 anos foi morto na madrugada desta sexta-feira (15), vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), dentro de sua própria casa no Jardim Alto da Colina, zona norte da cidade. Uma mulher foi presa após confessar o crime.

Segundo informações do boletim de ocorrência, vizinhos teriam acionado a Guarda Civil Municipal após ouvirem gritos e barulhos de objetos quebrando na residência da vítima. Após a chegada ao local, os GCMs ao olharem pelo muro da casa notaram a presença de uma mulher andando pelo imóvel e que também havia uma pessoa caída no chão da cozinha.

Os guardas quebraram o cadeado do portão e ao entrarem na residência sentiram forte cheiro de gás, por conta de todas as “bocas” do fogão “estarem abertas”. O Corpo de Bombeiros foi acionado e em seguida os GCMs entraram novamente na casa. A pessoa que estava caída se tratava de Paulo Lázaro da Costa, de 49 anos, morador do local. Ele apresentava diversos ferimentos na cabeça e nos braços, além de perfurações em outras regiões do corpo e pequenas queimaduras nas pernas. O Samu também foi chamado e constatou a morte da vítima.

Já em buscas pela casa, uma mulher foi localizada escondida debaixo do sofá da sala e com ela encontrados em sua bolsa três aparelhos celulares, sendo um deles de propriedade de Paulo; objetos como tesoura, aparelhos de barbear, sabonetes e a quantia de R$ 25 em dinheiro. Já em revista pessoal, por meio de uma guarda feminina, havia escondidos em seu sutiã chaves da moto da vítima e também da residência. Questionada, ela confessou que teria matado o homem e que teria usado uma faca na ação, a qual foi localizada ao lado do corpo da vítima.

Diante dos fatos foi dada a voz de prisão e a mulher foi levada para a Delegacia de Polícia. O caso foi registrado como latrocínio, que é o roubo seguido de morte.

Com isso, Araras já soma o quarto homicídio no ano, todos em menos de 15 dias. O primeiro aconteceu no dia 4 deste mês, na região central da cidade, e os outros dois nos últimos dias 9 e 10, sendo um no José Ometto e o outro no Parque Industrial.

Outras notícias

COMPARTILHAR