Fachada do Instituto de Prevenção Júlia Marzola Faria, em Fernandópolis. Crédito da foto hospital: Folha de São Paulo
Fachada do Instituto de Prevenção Júlia Marzola Faria, em Fernandópolis.
Crédito da foto hospital: Folha de São Paulo

O gestor do Hospital do Câncer de Barretos, Henrique Prata, anunciou na manhã da última quarta-feira, dia 1°, que poderia fechar as portas da unidade hospitalar da cidade de Fernandópolis (a 555 km de São Paulo) dentro de 30 dias. O motivo seria o atraso no repasse de R$ 30 milhões do governo Geraldo Alckmin (PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira).

O hospital é considerado a maior instituição oncológica do país e conta atualmente com oito unidades em todo país. O cantor sertanejo e Deputado federal Sérgio Reis (PRB-SP Partido Republicano Brasileiro de São Paulo) é padrinho do Hospital levando seu nome em um dos pavilhões em Barretos/SP, e conversou diretamente via telefone com a reportagem do Opinião Jornal a respeito do anúncio.

“Ainda não estava sabendo, é triste. A saúde pública de todo o Brasil está passando por crise. No Hospital do câncer de Barretos o primeiro pavilhão foi construído pela dupla sertaneja Chitãozinho e Chororó. É muito bonito o trabalho realizado pelo Henrique Prata”, destaca o deputado.

Em Araras, Denner Junior e a mãe Karen Matieli dos Santos são Coordenadores do Hospital.  “Minha avó esteve em tratamento no hospital de Câncer de Barretos no ano de 2014. Depois que tivemos o contato com a Instituição e presenciamos o tratamento humanizado, passamos a nos interessar em apoiar a causa”, relata o jovem Denner.

Caminhada Passos que Salvam realizada em Araras reuniu cerca de 1000 pessoas. O evento arrecadou mais de R$ 43.000,00 para o Hospital de Câncer de Barretos.
Caminhada Passos que Salvam realizada em Araras reuniu cerca de 1000 pessoas. O evento arrecadou mais de R$ 43.000,00 para o Hospital de Câncer de Barretos.

Os Coordenadores do hospital, Denner e sua mãe Karen auxiliam no encaminhamento de pacientes, desenvolvem ações e organizam eventos, como a Caminhada Passos que Salvam que já acontece há dois anos na cidade de Araras. Além de conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce e combate ao Câncer Infantojuvenil, por meio da venda dos kits da Caminhada mais de R$ 100.000,00 ja foi destinado à Instituição. “É muito triste ver uma notícia dessas, por conhecer a excelência do Hospital que hoje corre esse risco de uma das unidades ser fechada”, lamenta o jovem.

O Governo de São Paulo, por meio da Secretaria do Estado da Saúde divulgou uma nota à Folha de São Paulo, alegando que não há atrasos de repasses à fundação responsável pelo Hospital de Câncer de Barretos.

Ainda de acordo com informações da Folha de São Paulo, “Caso o Instituto de Prevenção Júlia Marzola Faria, em Fernandópolis, seja fechado, os pacientes vão precisar ser remanejados para a unidade de Jales, na região de Araçatuba, que faz cerca de mil atendimentos diários, todos via SUS – Sistema único de Saúde. Apesar da alternativa, Henrique Prata disse que a unidade de Jales também tem dívidas a receber e corre o risco de ser desativada até o fim do ano. Os problemas ocorrem, principalmente, porque o hospital faz quase 100% dos atendimentos por meio do SUS, o que obriga a instituição a buscar verbas extras todos os meses – como cachês doados por artistas em shows exclusivos e leilões de gado nos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul”, em trecho divulgado na Folha de São Paulo, na edição do dia 1° de junho.

Nossa equipe tentou contato telefônico com o gestor Henrique Prata, mas não o encontrou para possível esclarecimento da situação.

 

Estrutura da unidade em Fernandópolis

 

A unidade de Fernandópolis tem capacidade para atender 95 municípios e realizar, primeiramente, exames preventivos de mama. Em sua segunda etapa do projeto de expansão, o prédio está passando por transformações para atender também pacientes de prevenção das seguintes áreas: Colo de Útero, Pele , Próstata e Boca. O prédio tem 3.500 m2 de área construída, conta com salas para exames, consultórios, centro cirúrgico para pequenas cirurgias e biópsias, além de equipamentos como mamógrafo digital, ultrassom, mesa de estereotaxia e sala cirúrgica. A capacidade de atendimento do centro é 40 mamografias, 35 ultrassons por dia e 20 biópsias por semana.

A unidade capta mensalmente uma média de 3.700 exames de Mamografia realizados pelas Unidades Móveis Ivete Sangalo (2 mamógrafos analógicos) e Avon (2 mamógrafos digitais) atendendo toda a região de São José do Rio Preto e Araçatuba.

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*