A cidade de Araras é a única entre os 53 municípios que a ARES-PCJ acompanha e que ainda não realiza o corte de água

 A diretoria da Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias PCJ (ARES-PCJ), responsável pela regulação dos serviços de saneamento em Araras, deliberou que o Saema (Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente) de Araras, passe a atender os procedimentos de inadimplência no pagamento da fatura de água com a suspensão do fornecimento da água.

A suspensão consiste na instalação de dispositivo bloqueador no cavalete de água e colocação de lacre na cor vermelha, indicando o corte; em caso de violação, a suspensão no fornecimento poderá ser feita mediante retirada do ramal de água. Constatada violação ao cavalete de água que esteja com o fornecimento suspenso, o Saema aplicará multa de um salário mínimo.

A cidade de Araras é a única entre os 53 municípios que a ARES-PCJ acompanha e que ainda não realiza o corte de água. A Deliberação número 672/2015 foi publicada no último sábado, dia 12, nos jornais locais, que dispõe sobre a suspensão do fornecimento de água por inadimplência para ligações residenciais, comerciais e industriais que estiverem inadimplentes por 90 dias ou mais no pagamento de suas tarifas, nos termos do artigo 116, inciso I, da Deliberação 606/2011, bem como a Resolução nº 50/2014, da ARES-PCJ.

A cidade de Araras é a única entre os 53 municípios que a ARES-PCJ acompanha e que ainda não realiza o corte de água
A cidade de Araras é a única entre os 53 municípios que a ARES-PCJ acompanha e que ainda não realiza o corte de água

Cessados os motivos que determinaram a suspensão ou pagamento dos débitos será restabelecido o fornecimento de água, mediante o pagamento do valor do serviço de religação correspondente, com prazo de 24 horas para cortes com aviso prévio e 72 horas pela retirada do ramal.

Para os casos de usuário residencial classificado como “baixa renda”, beneficiário de tarifa social, quando houver, obedecerá a prazos e critérios que preservem condições mínimas de manutenção da saúde das pessoas atingidas. Essa Resolução já entrou em vigor, porém o Saema começará com o corte de água pela inadimplência, para os novos débitos, a partir de janeiro de 2016.

Em entrevista ao programa Opinião do Meio Dia, da Rede Opinião na tarde de ontem, dia 14, o vice prefeito ararense comentou o assunto. “Historicamente temos grandes dividas de munícipes junto ao Saema, mas é válido ressaltar que atenderemos a casos especiais de pessoas que realmente não puderam pagar, para que essas não fiquem sem água”, disse Carlos Jacovetti.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*