Secom/PMA
Nebulização só acontece após a confirmação de casos da doença.

Araras está em alerta em relação a dengue. A Secretaria Municipal de Saúde realizou no mês de janeiro a coleta do Índice de Breteau, valor numérico que mede a quantidade de larvas encontrada em imóveis pela quantidade total de locais vistoriados. Até o fechamento desta edição eram nove casos de dengue na cidade.

A Secretaria de Saúde divulgou que durante a coleta do índice, os agentes do setor de Controle de Endemias visitaram 1.918 imóveis em vários bairros da cidade. Com base no material coletado, o índice foi de 1,7, que caracteriza estado de alerta de acordo com a classificação proposta pelo Programa Nacional de Controle da Dengue.

Segundo este parâmetro, índices até 1 são satisfatórios; de 1 a 3,9, envolvem estado de alerta; e acima de 3,9, de risco. O índice atual é maior do que o registrado no último levantamento feito em outubro do ano passado, que foi de 0,6.

Luciana Coelho Bianco, chefe do setor de Controle de Endemias, explicou que o que mais chamou a atenção da equipe foi o grande número de larvas encontradas em recipientes que a população utiliza para armazenar água neste período de crise hídrica. “É fundamental que a população mantenha estes recipientes bem fechados, quer seja com tampa própria ou com lona, e que não fique qualquer espaço para o mosquito entrar e depositar seus ovos. É importante também adicionar cloro, sal ou água sanitária nestes reservatórios para evitar a proliferação do inseto. A quantidade varia de acordo com o volume de água”, comentou.

Agentes do controle de endemias irão retornar às residências visitadas para coleta do Índice de Breteau, informando o cidadão do resultado da análise das larvas encontradas em suas casas. Será realizada, então, nova vistoria nesses locais para verificar se as orientações passadas pelos agentes estão sendo seguidas pelo morador.

Dos casos confirmados em Araras, seis são importados (Congonhal/MG, Porto Ferreira, Limeira, Pirassununga, Itaqueraí/MS e Rio Claro) e três autóctones (contraídos no próprio município).

Os pacientes residem no Jardim Flamboyant (1 caso), Jardim Universitário (1), Jardim Itapuã (2), Jardim Tangará (1), Jardim Dalla Costa (1), Jardim Rosana (1), Jardim das Palmeiras (1) e Villagio Itália (1).

Até o momento, 26 suspeitas foram notificadas no município em 2015. Além dos nove casos confirmados, outros cinco casos foram descartados após exames laboratoriais e doze pacientes aguardam a chegada do resultado das análises.

Em 2014, de acordo com balanço da Secretaria de Saúde, foram registrados 127 casos positivos de dengue – entre eles, 100 autóctones e 27 importados.


Combate à dengue

Os trabalhos constantes de combate à dengue realizados pela Secretaria da Saúde foram intensificados, afirma a pasta. As ações envolvem atividades de bloqueio contra criadouros (busca ativa) e vistorias casa a casa, além de orientações à população, atividades educativas e visitas periódicas a imóveis específicos, como indústrias, borracharias e escolas.

Conforme informou a Secretaria, ontem, dia 29, os agentes de controle de endemias realizam busca ativa para controle de criadouros em residências do Parque Tiradentes e Parque Dom Pedro, além de nebulização no Jardim Tangará – medida que é específica e realizada apenas quando há confirmação de casos da doença.

É importante que os moradores colaborem com as ações, permitindo a entrada dos agentes de combate a endemias nas residências. A secretaria esclarece que eles estão devidamente identificados com crachás e camisetas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*