Araras comemora 144 anos de emancipação político-administrativa

Brambilla (1)-COR
Brambilla

Araras está em festa hoje, dia 24, pela comemoração dos 144 anos de emancipação político-administrativa. Neste 2015, a data é marcada, entre outras coisas, pela crise hídrica que ocasionou o racionamento no abastecimento de água para a população. Porém, o município também tem vários motivos para celebrar. A reportagem do Opinião perguntou para algumas pessoas o que elas acreditam que faltam para o Município. Veja abaixo as respostas:

magda (2)-COR
Magda Celidório

 

O prefeito Nelson Dimas Brambilla (PT – Partido dos Trabalhadores) acredita que o maior presente que Araras recebe este ano é a faculdade de medicina. “É a realização de um grande sonho, que por meio do curso teremos um grande avanço técnico e científico. Agora estamos juntos ao Governo do Estado para a instalação da Fatec (Faculdade de Tecnologia)”, ressaltou Brambilla.

Quando questionada, a presidente da Câmara, Magda Regina Carbonero Celidório PSDC (Partido da Social Democracia Cristã), afirmou que deseja que Araras tenha cada vez mais desenvolvimento. “Principalmente nas áreas de saúde e educação. Além disso, desejo o bem estar e a felicidade de todo o nosso povo”.

Elaine Brambilla
Breno (1)-COR
Breno Cortella

O vereador Breno Zanoni Cortella (PT) ressaltou que Araras tem muitas coisas boas. “Mas nossa cidade, que tanto amamos, merece sempre mais, como ter ainda mais qualidade de vida, desenvolvimento econômico, justiça, cidadania ativa e sustentabilidade ambiental”.

Quem também comentou a importância da data foi a primeira dama Elaine Brambilla, que deseja mais tolerância as pessoas. “Está faltando tolerância para todas as esferas da sociedade. Gostaria de ter uma cesta cheia e sair distribuindo para todos”.

 

 

Ana (3)-COR
Ana Devides

A secretária de Comunicação Social e Institucional, Ana Maria Devides, disse que distribuiria muitas lixeiras pela cidade. “Queria determinar todos usassem essas ferramentas e parassem de sujar Araras”.

Pamela (1)-COR
Pamela Alonso

 

E por fim a contadora Pamela Lagazzi Alonso afirmou que falta segurança. “Principalmente no Centro comercial, nos finais de semana, fora do horário comecial, que tem pouco movimento, todos ficam sujeitos a assaltos e o patrimônio à depredação”, concluiu.

 

Um pouco sobre a data

As comemorações referem-se a 24 de março de 1871, quando o povoado de Nossa Senhora do Patrocínio foi elevado à categoria de vila, passando, a partir daquele momento, a constituir um município, que já possuía cinco mil habitantes. Até então, as terras que hoje formam o município de Araras pertenciam à cidade de Limeira.

O primeiro registro do povoado data de 1818, através de uma sesmaria de légua e meia, formada pelas bacias hidrográficas do Rio Mogi, Ribeirão Itapura e Ribeirão das Araras, em terras pertencentes ao município vizinho.

Em 1862, o proprietário da sesmaria erguia a primeira capela de Nossa Senhora do Patrocínio das Araras, rodeada de algumas casas. A inauguração foi em 15 de agosto de 1862, dia em que a Igreja Católica dedica à Nossa Senhora do Patrocínio, o que justifica tê-la como padroeira da cidade.

Em 2012, a cidade comemorou 150 anos de fundação, o que rendeu programação festiva com eventos durante todo o ano.


Araras volta a conviver com as aves que deram origem a seu nome

Algumas das araras soltas no início do ano voltam para a cidade e encantam os moradores

Soltas na natureza em janeiro deste ano, as aves silvestres já foram vistas em diversos bairros da cidade, como Jardim Fátima, Dom Bosco, Madalena de Canossa e outros pontos. Anilhadas e  monitoradas elas fazem parte do Projeto Pró-Arara, desenvolvido pela Prefeitura em parceria com o IBPN (Instituto Brasileiro de Proteção à Natureza).

Ao todo são 73 aves, de 12 espécies diferentes, incluindo arara-canindé, tucanos, papagaios, bicudos, trinca-ferros, coleiro (mais conhecido como coleirinho), periquitão-maracanã, coruja-do-mato, coruja-buraqueira, siriema, curió, papa-capim-de-costas-cinzas, corrupião, dentre outras, que foram soltas na natureza, após o processo de reabilitação, na Área de Soltura e Monitoramento de Aves Silvestres instalada em área particular que fica na zona rural da cidade. A localização é mantida em sigilo por questões de segurança, para evitar que as aves sejam alvos de roubo ou caça.

A veterinária e coordenadora do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres do Projeto Pró-Arara, Fernanda Senter Magajevski, foi até um dos locais onde uma arara-canindé estava, na região do Jardim Fátima, para verificar as condições físicas do animal. “Fiz questão de verificar de perto como ela estava e constatar se faz parte do projeto. Aparentemente, a arara estava muito bem. Sua cor e pelagem eram vistosas, o que demonstra que está saudável. Além disso, não notei sinais de cansaço, pois a ave se equilibrava nos galhos com facilidade”, explicou.

Caso as pessoas avistem essas aves em zona urbana, o ideal é que as deixem seguir seu curso natural e, que em caso de maus-tratos ou tentativa de captura das aves, a população acione a Polícia Militar Ambiental. É recomendado também que não as domestiquem e não as alimentem com nenhuma outra coisa a não ser frutas.

O Centro Pró-Arara, instalado no Lago Municipal de Araras, recebe somente aves apreendidas pela Polícia Militar Ambiental e pelo Corpo de Bombeiros na cidade ou em outros municípios do Estado. No local elas passam por exames e cuidados veterinários.

Todas as aves recebidas são tratadas por equipe formada por uma veterinária, uma bióloga, três cuidadores, além de auxiliares administrativos. Depois deste período de tratamento e reabilitação as aves são encaminhadas à Área de Soltura e Monitoramento na zona rural de Araras.

O local possui cinco viveiros, sendo três de pequeno porte e um maior que abriga as aves já reabilitadas e em melhores condições de saúde.


Beloto fala sobre a trajetória do União São João em Araras

Antônio Carlos Beloto, vice presidente e diretor de futebol do União São João.

Desde a sua fundação, 14 de janeiro de 1981, até os dias atuais, o União São João Esporte Clube carrega em seus 34 anos de história inúmeras conquistas, feitos e revelações, que colaboraram na formalização de sua tradição na cidade. Em matéria especial pela semana do município, a reportagem do Opinião esteve na sede atual do clube ararense, o Estádio “Dr. Hermínio Ometto” e entrevistou o vice presidente e diretor de futebol, Antônio Carlos Beloto, que contou um pouco sobre a história do União desde o início até os dias de hoje.

“O União foi criado pelo ex-prefeito de Araras, Hermínio Ometto, e hoje é presidido por José Mário Pavan. Nesses 34 anos de existência, nunca deixamos de participar das competições oficiais da Federação Paulista de Futebol. É clube de muita história e tradição na cidade”, ressaltou.

Em toda sua trajetória, o União já disputou a Série A do Campeonato Brasileiro, onde realizou vários jogos em Araras e no Brasil, contra clubes de grande porte como Fluminense, Atlético Mineiro, Internacional de Porto Alegre, São Paulo, Corinthians, Flamengo, dentre outros. Dentre suas principais conquistas, Beloto citou o título das séries B e C do Brasileiro e também o acesso à primeira divisão do Paulista, seis anos após a fundação do clube. “Em 1987, quando o União ainda jogava no Estádio “Engenho Grande”, da Usina São João, nós conseguimos em tão pouco tempo o acesso à primeira divisão do Paulistão. Isso pra nós foi uma grande façanha, pois foi uma grande conquista que serviu para darmos os primeiros passos rumo à elite do campeonato”, comentou.

Mesmo sem participar das competições do calendário de 2015 da Federação Paulista de Futebol, o clube mantém a manutenção do campo.

“Em 1988 também garantimos o título da série C da Brasileiro e em 1992 o título da série B. Em 1993, com o técnico Jair Picerni, nós chegamos a série A, porém caímos e em 1996 voltamos novamente, onde disputamos até o ano de 1998”, reforçou.

Durante a entrevista, o diretor de futebol do clube também relatou sobre a participação do clube no primeiro gol do goleiro Rogério Ceni, atualmente no São Paulo Futebol Clube, que anos mais tarde veio a se tornar o maior goleiro artilheiro da história do futebol. “O jogo foi no dia 15 de fevereiro de 1997 e a partida terminou em 2 a 0 para o São Paulo. Porém, em um lance, houve a falta e o Rogério teve a oportunidade de cobrá-la. Quando ele marcou o gol, achamos que seria algo negativo para o nosso clube, pois tomar um gol de goleiro não era nada comum. Mas a partir daquele dia, ele deu continuidade nas cobranças até se tornar o maior goleiro artilheiro do futebol. O União faz parte desta história”, brincou.

Clube de Araras mantém as suas portas abertas em 2015.

Mas um fato negativo que marcou a trajetória do clube ararense foi em 2005, quando o União foi rebaixado do Campeonato Paulista daquele ano, diante da União Barbarense. Porém o que fez com que a diretoria “perdesse o fôlego” foi com a manipulação dos resultados pela máfia do apito, comandada pelo árbitro Edílson Pereira de Carvalho, onde infelizmente Araras foi vítima.

Agora em 2015, o União São João anunciou a sua não participação do Campeonato Paulista da 2ª divisão. Segundo Beloto, foram por questões econômicas. “Infelizmente fomos forçados a pedir o afastamento das competições da Federação. Mas o clube não fechou suas portas, ele ainda continua vivo. Há males que vem para o bem. Hoje tomamos esta triste decisão, porém esperamos que lá na frente tenha repercussão e que o União retome também as forças para voltar ao seu caminho de glórias. Para mim, o clube é o embaixador do futebol em Araras”, finalizou.

 

Revelações

Treinador e ex-jogador Roberto Carlos foi a maior revelação do União São João.

 

Além das conquistas e feitos durante sua trajetória no futebol, o União São João também foi a “fábrica de atletas” e ainda vem revelando talentos para a modalidade. Sua mais recente revelação foi o jogador Luan Louzan, que começou a carreira em Araras e logo em seguida foi negociado ao Palmeiras e em seguida para o Cruzeiro, até se transferir para o futebol internacional, onde atualmente joga no Sharjah FC – nos Emirados Árabes.

Outros atletas como Wilson, Léo, Wagner, Borges (Ponte Preta de Campinas/SP), Osmar, Juninho, Mathias, Galvão, Juliano, Edu Salles e Danilo Sacramento também iniciaram suas carreiras no clube de Araras. No entanto, outra grande revelação, foi do ex-jogador e treinador Roberto Carlos, que atuou no União entre os anos de 1990 e 1992, além de jogar em grande clubes europeus, como Real Madrid, e também na seleção brasileira, com a conquista do penta mundial.

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*