Em julho de 2018, após confusão na Santa Casa, o suspeito teria atirado produto ácido na caminhonete do médico Agnaldo Píspico. (Foto: Arquivo)

Mulher do suspeito está grávida de sete meses; caso foi registrado como tentativa de feminicídio, lesão corporal e ameaça

Um médico que teria se envolvido em uma confusão na Santa Casa de Misericórdia de Araras em 2018 foi preso em flagrante após tentar matar a companheira grávida de sete meses, na madrugada desta quinta-feira (17), em Sorocaba/SP. De acordo com a Polícia Civil, o agressor e a vítima, de 37 anos, são médicos na cidade.

A polícia seguiu para a casa após uma denúncia anônima e, assim que chegou ao local, o suspeito recebeu a equipe tranquilamente dizendo que não havia nada de errado, enquanto sua companheira gritava por socorro aos fundos.

O homem tentou impedir os policiais de entrarem no imóvel e foi necessário acionar o reforço de quatro viaturas. A mulher disse aos PMs que estava sendo agredida com socos na cabeça há uma hora e que o suspeito ameaçou matá-la e fazê-la perder o filho para que “saísse da vida dele”. A discussão teve início quando ela descobriu diversas ligações do homem para a ex-mulher.

Segundo o boletim de ocorrência, a vítima relatou que o homem tentou sufocá-la e chegou a jogá-la no chão, aplicando-lhe uma chave de braço. A mulher só conseguiu fugir do marido após mordê-lo. Em seguida, ele teria pego uma faca de cozinha e dito que iria matá-la, fazendo com que a mulher saísse correndo. O médico foi encontrado pelos policiais com a faca na mão.

Já na delegacia, o homem voltou a ameaçar a mulher, dizendo que “a perseguiria até o inferno se ela o fizesse ser preso”. Em audiência de custódia realizada durante a manhã, ele teve a prisão em flagrante convertida em preventiva.

O caso foi registrado como tentativa de feminicídio, lesão corporal e ameaça. Ainda segundo a polícia, a médica chamou colegas e foi atendida em casa mesmo.

Em Araras

No dia 13 de julho de 2018 no plantão diurno da Santa Casa de Araras este médico, após confusão, teria atirado produto ácido na caminhonete do popular médico e coordenador do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) Agnaldo Píspico, que estava estacionado em frente ao hospital. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Araras.

Outras notícias

COMPARTILHAR