O Opinião recebe constantemente denúncias da sujeira decorrente do lixo jogado nas ruas da cidade, o que ocasiona problemas para o meio ambiente e para a saúde dos próprios moradores. Além disso, demonstra falta de conscientização individual em relação ao papel de cada cidadão na construção e organização do espaço do município.

Em Araras é só passar pelas ruas, inclusive na avenida “Padre Alarico Zacharias”, que é perceptível a montanha de sacolinhas que se juntam perto das casas, nas calçadas. Os coletores, inclusive, amontoam todas elas nas esquinas para facilitar o recolhimento dos materiais.

Ainda, segundo informações que chegaram à redação do Opinião, muitas vezes, uma só casa despeja na rua 10 sacolinhas – quando o correto seria colocar todas em um saco só, de lixo, fechado, a ser depositado na rua nos dias certos de coleta – e não na hora em que for somente mais conveniente para o morador. Outra queixa da população é referente à colocação do lixo 36 horas antes da passagem do caminhão e, muitas vezes, no chão. “Cães e vândalos vão mexer, o lixo vai se espalhar pela rua prejudicando a todos”, afirmou um morador da Avenida Padre Alarico que preferiu não se identificar.

Vale a pena ressaltar que no município, assim como em todas as cidades, a população é responsável pelas consequências dessa prática, como enchentes ocasionadas pela matéria que entope as bocas de lobo.

Também não se pode deixar de lembrar que os órgãos públicos precisam fazer a parte deles – coletando os detritos. Por isso, existe a coleta de lixo domiciliar em 100% da cidade, e não é hoje. “De nada adianta culpar o poder público, quando acontecem as enchentes inundando casas e ruas, causando grandes transtornos. Em casos como este, os culpados são estes que, dia a dia, não se preocupam em recolher seu próprio lixo e colocá-lo em seu devido lugar, para que o serviço de coleta leve para o destino certo. Sem falar que, a prática de colocar o lixo nos canteiros centrais, como é o caso da avenida “Padre Alarico Zacharias”, acarreta risco para os coletores, no meio do trânsito e, além disso, deixa as avenidas imundas”, completou o morador da Avenida.

Para a estudante de economia, Bianca Sapatini, cuidar do meio ambiente é um dos passos para uma vida e um mundo mais saudável. “Temos, como seres humanos, a responsabilidade de preservar a natureza, com atitudes de respeito e hábitos sustentáveis que, desta maneira, vão garantir a nossa saúde e a harmonia de todos no planeta. Acredito que, neste caso, o certo seria multar os moradores e, principalmente, os comércios. Uma vez que a avenida está tão suja por conta também deles. É muito feio para a cidade de Araras, pois, quem vem de fora, já se depara com toda esta imundice”, disse.

Procurada pela nossa reportagem, a Secretaria Municipal de Serviços Públicos Urbanos e Rurais, informou estar ciente do problema e esclareceu em nota oficial que moradores não só colocam lixos domésticos no canteiro central, como também diversos outros tipos de materiais como entulho, restos de vegetais, sofás, entre outros. Ainda de acordo com o informe, a administração em meados de 2013 revitalizou toda a avenida, como também a fiscalização e efetuou diversas campanhas de informação de como colocar devidamente seu lixo ou entulho na referida avenida, com panfletos entregues casa a casa e por mais de uma vez. Contudo, ainda, existe muita resistência cultural em colocar o lixo no canteiro central, o que resulta em diversas autuações por parte da fiscalização.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*