Testes de luminol realizados no automóvel do suspeito na noite da última terça-feira (4) constaram diversos pontos de sangue no interior do veículo e também no porta-malas. (Foto: Polícia Civil de Araras/Divulgação)

Vítima é uma moradora do José Ometto, desaparecida desde o último dia 22; o marido, considerado principal suspeito, está preso temporariamente

 A Polícia Civil de Araras avançou nas investigações sobre o corpo de uma mulher encontrado em uma mata na zona rural da cidade no último domingo (2). A vítima, Helena Cardoso de Moura Magrini, de 48 anos, era moradora da zona leste do município, e estava desaparecida desde o último dia 22 de novembro. Ela foi reconhecida pela filha por meio de um anel idêntico a que sua mãe usava.

O cadáver foi encontrado em avançado estado de decomposição e exames necroscópicos do IML de Limeira apontaram de sete a nove perfurações no lado esquerdo do tórax causadas por um objeto cortante. Segundo o delegado responsável pelas investigações, Tabajara Zuliani dos Santos, a mulher teria sido vítima de feminicídio (assim como o caso é tratado) e que o seu marido é o principal suspeito pelo crime.O assassinato seria motivado por ciúmes e pela não aceitação do divórcio por parte do homem.

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Tabajara Zuliani dos Santos, a mulher teria sido morta pelo próprio marido. (Foto: Beto Ribeiro Repórter)

“Este homem já está preso temporariamente e continuamos no andamento das investigações. Em depoimentos prestados, ele apresentou várias contradições. O que também nos chamou a atenção foi que, poucos dias após o crime, ele ter devolvido um carro modelo Ônix para a antiga proprietária com a justificativa de que não teria dinheiro para terminar de pagar o veículo. Testes de luminol realizados no automóvel na noite da última terça-feira (4) constaram diversos pontos de sangue no interior do veículo e também no porta-malas”, explicou o delegado Tabajara. “Devido ao avançado estado de decomposição do corpo, serão necessários exames datiloscópicos e também por meio de DNA para que tenhamos a total certeza de que realmente seja esta mulher. O resultado sai dentro de 30 dias e assim poderemos finalizar este inquérito”, concluiu o delegado.

Este é o quarto assassinato registrado em Araras neste ano. Em maio uma mulher matou o marido a facadas no Jardim Morumbi e em novembro dois homens foram mortos em menos de dois dias, sendo um também a facadas no Parque Tiradentes e outro a tiros no Narciso Gomes.

Outras notícias

COMPARTILHAR