Nando Pires é músico, compositor e escreve aos sábados no Opinião
Nando Pires é músico, compositor e escreve aos sábados no Opinião www. nandopires.com.br

Dinossauro come capivara que fugiu de iceberg!

Pois é, há algum tempo uma notícia dessas seria impossível de ser imaginada e impressa em jornal oficial, mas estamos vendo, vivendo e ouvindo absurdos tão grandes que uma chamada assim pode não parecer mais tão impossível.

Quando soube do falecimento do jornalista Ricardo Boechat liguei para minha mãe e a avisei, mas eu apenas sabia que se tratava de um acidente aéreo, sem ter maiores detalhes. Em seguida recebi um retorno dela que me relatou o ocorrido da seguinte maneira: “O helicóptero que o Boechat estava bateu em um caminhão na Rodovia Anhanguera”.

Juro que meu cérebro se recusou a entender que tinham acontecido coisas tais quais ela descrevia. Meu lado racional não conseguiu juntar as informações “helicóptero” com “caminhão”, porque um trafega pelo ar e o outro por terra. Então tive que perguntar “como” as coisas ocorreram para conseguir compreender. Mas não bastando a descrição verbal, entrei na internet para ver com os olhos do rosto, porque a imaginação não tinha dado conta sozinha.

No dia seguinte, grande parte do Brasil assistia aos noticiários fúnebres quando chega a notícia do rompimento de uma represa em Sorocaba, que alagou grande parte da área rural daquela cidade. Concomitantemente vieram mais duas chamadas sobre balas perdidas que mataram duas crianças e que havia um surto descomunal de dengue em Araraquara.

Para findar o “resumão dos causos” aí vão mais três notícias. Um segurança da rede de supermercados Extra acabou matando um garoto de 19 anos que tentou roubar a loja, aplicando um “mata-leão” e o mantendo estrangulado até sufocar completamente. O presidente da Vale disse que a empresa que vitimou Mariana e Brumadinho é uma joia para o Brasil. Irrompeu um escândalo que aponta financiamentos de candidatos laranjas no PSL (partido de Jair Bolsonaro), onde o ministro Gustavo Bebianno seria uma das figuras centrais dessa ilicitude.

Juro que diante das notícias reais, eu preferia ver o dinossauro comer a capivara que tinha fugido do iceberg!

Mas a realidade tem superado enormemente a arte!

E fico me perguntando se o Brasil realmente se resume a todas essas “cagadas” noticiadas quotidianamente. Será que é isso mesmo?

Por fim, quero deixar uma frase de Ricardo Boechat registrada nesse texto e faço isso com dois propósitos, o primeiro de prestar uma homenagem e o segundo porque o conteúdo de seu dizer pode ser esclarecedor para o momento: “A imprensa noticia vandalismo, pois gera medo. O medo faz com que as pessoas fiquem em casa. Pessoas com medo não mudam o país”.

Se tenho respostas sobre tudo isso? Sinto muito, mas não tenho a menor ideia.

Somos vítimas de uma imprensa pautada em fomentar o medo? Fazemos tudo errado e somos os maiores produtores de catástrofes que realmente devem ser amplamente noticiadas?

Acho que nem Freud explica…

Mas cuidado! Vai que aparece algum dinossauro por aí!

Que todos tenham um final de semana revigorante!

Coluna anterior: Isso vale a pena?!

Mais notícias