Especialistas e público se interagem na primeira roda de conversa sobre fatores de retenção do jovem no campo

O objetivo foi reunir e apresentar experiências bem-sucedidas na área para incentivar os participantes a pensarem novos caminhos para o futuro da agricultura, principalmente do café

Especialistas e público se interagem na primeira roda de conversa sobre fatores de retenção do jovem no campo
Especialistas e público se interagem na primeira roda de conversa sobre fatores de retenção do jovem no campo

Tecnologia aplicada à agricultura e empreendedorismo rural, somatória de conhecimentos antigos e atuais, motivação, perspectivas voltadas para o campo e como implementá-las nortearam a primeira roda de conversa promovida pela Nestlé, em parceria com a Ashoka Brasil, ontem (14), em Araras (SP). Um diálogo de valor para tratar das oportunidades de inovação e desenvolvimento no campo como fatores importantes de retenção do jovem. O evento é uma resposta aos desafios enfrentados pelo agronegócio nacional que, segundo especialistas e entidades como a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), precisa cada vez mais de inovações e de profissionais qualificados para ser mais produtivo e, ao mesmo tempo, lidar com questões como mudanças climáticas, segurança biológica e redução no uso de recursos naturais. Nesse contexto, a participação dos jovens nas atividades do campo, trazendo conhecimento, modernidade e uma nova visão para a produção agrícola, é um fator-chave para o crescimento sustentável da atividade no País.

A iniciativa integra o Programa Nescafé Plan, que busca garantir a produção sustentável do café e o desenvolvimento de agricultores por meio da capacitação e do acompanhamento técnico nas propriedades rurais. O programa está alinhado ao propósito da companhia de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro bem mais saudável e ao conceito de CVC (criação de valor compartilhado), plataforma global de responsabilidade social da Nestlé, para quem os jovens são o futuro da agricultura nacional, atividade extremamente importante para o País e sua economia.

Evento agroempreedendorismo e juventude em campo Nestle e Ashoka (3)“Por isso, é importante trazer para debate questões sobre as inovações e tendências para o campo, envolvendo jovens produtores e incentivando-os a darem continuidade a essas atividades”, afirma Pedro Malta, head de agricultura da Nestlé Brasil. Questionado pelo Opinião se o número de produtores / fornecedores em potencial, com as exigências necessárias, é restrito atualmente, Malta enfatizou que não. “A preocupação é bastante a longo prazo, não é circunstancial. Estamos falando da cafeicultura daqui 30, 40 anos pelo menos. Essa é a nossa visão”.

Head de Nestlé em Society da Nestlé, Barbara Sapunar complementou: “Queremos, por meio das iniciativas do Nescafé Plan, estimular o potencial desses jovens e ajudar a orientá-los sobre como se prepararem para assumir esse papel”. À reportagem ela explicou como surgiu o projeto. “A gente tem um programa dentro da Nestlé desde 2011 que trabalha com o agricultor de café através de apoio técnico, visitas periódicas para fomentar a qualidade do produto e queríamos entender qual o próximo desafio dentro do campo para o café. Um dos vários desafios que a gente enxerga é que o êxodo do campo, do jovem do campo, é cada vez mais forte. O jovem enxergar o trabalho no campo, especificamente o café, como uma oportunidade de trabalho e de futuro é cada vez um desafio maior. Então essa é a razão dessa roda de conversa com diferentes pontos de vista. Convidamos produtores do Espírito Santo, especialistas do café, pessoas que trabalham com ações comunitárias e agricultura familiar, enfim diferentes olhares para esse tema tão importante, para debater sobre como a gente consegue engajar e trazer mais o jovem, para garantir o futuro do café. Hoje a gente está desenvolvendo bem, mas a gente tem que olhar o futuro. Que variáveis precisamos mexer para que este futuro seja sustentável e o jovem é a sustentabilidade, um dos fatores fundamentais para que esse futuro sustentável no campo, e no café especificamente, aconteça”, ressaltou.

O evento se prolongou no período da tarde, onde “ficamos com parte desses especialistas afunilando o tema”, disse Barbara. “A gente já tem uma proposta básica de programa, mas queremos, com eles, torná-lo mais robusto e relevante para o público jovem, que é o alvo”. A Nestlé deve implantar o programa no próximo ano numa área do Nescafé Plan, quando “um grupo de jovens aprenderá na prática como esse programa poderia funcionar e quais seriam os ajustes. A gente entende que trabalhar com gente também precisa de aprendizados. Então vamos ouvir hoje, vamos voltar a ajustar, vamos testar no campo, fazer esse projeto piloto, vamos aprender com programas na prática”

A Ashoka

A Ashoka está comprometida em criar mais possibilidade para que os jovens reconheçam seu potencial transformador, que é imenso, mas muitas vezes sufocado pela atitude das próprias famílias, da escola e da sociedade como um todo. “Estamos empenhados em criar uma nova visão e apoiar jovens a poder realizar seus projetos e, com isso, transformar o mundo. No campo, a realização dos projetos dos jovens é o caminho para que eles possam permanecer ali e contribuir para um desenvolvimento sustentável”, afirma Helena Singer, líder de juventude da Ashoka para a América Latina.

A Nestlé e o café

Reforçando seu compromisso com a valorização da cafeicultura brasileira, a Nestlé lançou neste mês de outubro o primeiro café solúvel do Brasil com destaque à respectiva região produtora: o Nescafé® Origens, feito a partir do café colhido em Águia Branca, no Espírito Santo. Para cada unidade do produto adquirida, uma muda de café será doada a produtores da região.

Outra iniciativa que será realizada até o final de 2018 é a doação de 400 mil tubetes recicláveis para mudas de café, desenvolvidos a partir da reciclagem de cápsulas de Nescafé® Dolce Gusto®. Os itens serão utilizados pelos viveiros que fornecem as mudas de café para produtores agrícolas, inclusive aqueles inseridos no programa Nescafé Plan. A iniciativa, realizada dentro das ações de Criação de Valor Compartilhado da Nestlé, está alinhada ao conceito de “economia circular”, no qual os resíduos provenientes do descarte de cápsulas são reaproveitados na própria cadeia.

As iniciativas fortalecem a jornada de consolidação da marca NESCAFÉ no Brasil, com crescentes investimentos no País, alinhados com o propósito da Nestlé de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável, para pessoas, famílias, comunidades e para o planeta.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*