Está sendo publicado pelo Saema (Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente) hoje, dia 14, o edital de Concorrência Pública para contratação de empresa que faça um novo conjunto de obras de modernização do sistema de tratamento de esgoto de Araras. As obras são bancadas com recursos federais do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento).  A informação é do presidente do Saema, arquiteto Felipe Dezotti Beloto. “As empresas interessadas terão até às 9h30 do dia 8 de junho próximo para apresentar suas propostas. A estimativa inicial é de que o rol de intervenções previstas no edital custe em torno de R$ 7,4 milhões – montante que poderá ser modificado em razão da concorrência entre empresas”, diz Beloto.estação de tratamento de esgoto

Entre os principais itens constantes da licitação está a construção de uma estação elevatória de esgoto nas imediações do Jardim do Lago e Residencial Santa Mônica. Tecnicamente ela é chamada de Estação Elevatória Norte. Com vazão de 50,32 litros por segundo, essa estação vai bombear os efluentes para o emissário que já está instalado sob a avenida Fábio da Silva Prado.

Esse edital também contempla a construção do  chamado Interceptor Arary, na fazenda São Vicente, ainda na zona norte. Com uma tubulação de concreto armado de diâmetro de 400 milímetros, numa extensão de 201,93 metros, esse interceptor coletará o esgoto captado através de outro emissário já instalado por trás da propriedade, e conectá-lo à rede principal, sob a Fábio Prado.

Também está contemplada no novo edital a implantação da Linha de Recalque Norte – também sob a Fábio Prado, com a instalação de três ventosas. E, por fim, o item que é considerado mais expressivo, tanto em extensão linear quanto em valores: o emissário de esgoto da margem esquerda da avenida Dona Renata. Ele começa no cruzamento com a Fábio Prado (proximidades da Delegacia do Município) e segue rumo à zona leste, por 5.374,94 metros, até chegar à Estação de Tratamento de Esgoto propriamente dita.

Esse emissário será feito de tubos corrugados em PEAD (Polietileno de Alta Densidade) em diferentes diâmetros, conforme o trecho – 450 mm, 600 mm e 750 mm, contando com 73 poços de visita (PV’s), além de um sifão invertido na chegada à ETE (para transposição do Ribeirão das Araras).

O edital prevê que as obras sejam feitas em até 18 meses, mas Beloto se diz otimista em relação a esse prazo. “O maior volume de obras corresponde à implantação de tubulações em PEAD, o que é considerado um serviço geralmente rápido”, estima ele.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*