Vereador Francisco Nucci Neto (PR) esteve em São Paulo com o secretário estadual de Agricultura, Arnaldo Jardim
Vereador Francisco Nucci Neto (PR) esteve em São Paulo com o secretário estadual de Agricultura, Arnaldo Jardim
Vereador Francisco Nucci Neto (PR) esteve em São Paulo com o secretário estadual de Agricultura, Arnaldo Jardim

O vereador Francisco Nucci Neto (PR), a convite do deputado estadual Ricardo Madalena (PR), participou esta semana, na sede da Assembleia Legislativa de São Paulo, da abertura do lançamento da Frente Parlamentar de Apoio à Vitivinicultura no estado.

O evento contou com a presença do vice-governador Márcio França, do secretário estadual de Agricultura, Arnaldo Jardim, a diretora-superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá, e o senador ítalo-brasileiro, Fausto Longo.

O encontro serviu para conhecer a legislação referente às políticas públicas do setor e fortalecer a atividade que envolve o cultivo de videiras específicas para a produção e fabricação do vinho, além de promover ações e debates sobre o tema.

De acordo com as estatísticas, a população paulista consome 90% dos vinhos que são produzidos no Brasil e 70% de vinhos importados. De olho nesse mercado e com o objetivo de fomentar o setor que cultiva as vinhas e produz os vinhos, a Assembleia Legislativa promoveu um debate para apoiar a vitivinicultura no País.

Segundo o deputado Roberto Morais (PPS), que coordenou os trabalhos, são 70 municípios no estado que plantam uvas para produzir suco e vinho. “Precisamos ampliar a rede produtiva e gerar mais emprego e renda no estado de São Paulo, pois há um potencial muito grande”, disse.

O vice-governador do estado de São Paulo, Márcio França, reforçou a necessidade de popularizar a bebida para que a atividade se torne uma alternativa econômica no Brasil, como ocorre na Europa. “Precisamos ter vinhos de qualidade com preços convidativos, como ocorre em outros países”, afirmou.

O senador da Itália, Fausto Longo, falou sobre um protocolo firmado com o seu país para promover o desenvolvimento da vitivinicultura em São Paulo. “Os italianos com certeza colaborarão com os paulistas. Além de nova alternativa econômica e geração de empregos, o desenvolvimento da vitivinicultura possibilitará que as famílias permaneçam no campo”, garante.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Cauê Macris (PSDB), lembrou que o estado de São Paulo criou o primeiro curso técnico de viticultura e tecnologia na Etec (Escola Técnica) de Jundiaí. “Além de ser um produtor de vinhos de qualidade, o estado de São Paulo inova e qualifica constantemente com a formação de profissionais para ajudar neste processo de expansão da produção do suco de uva e do vinho”, declara.

De acordo com o vereador Francisco Nucci Neto, a cidade de Araras também pode explorar esse setor de vitivinicultura e se tornar um grande potencial econômico e social, gerando emprego e renda no setor. “Araras é uma cidade com enorme potencial. Por isso, acredito que é possível trazermos novas técnicas de pesquisa, tecnologia e estudo para o desenvolvermos e cultivo das videiras específicas para a produção e fabricação de vinhos, além de estudos para controlar doenças do campo, pragas e ainda investir na produção de uvas”, declara.

Para o parlamentar, o momento é de unir os produtores, empresários, poderes Legislativo e Executivo e fomentar a produção de uva e vinho na cidade. “Araras possui uma extensa área rural extremamente fértil e cultivável. Este setor do agronegócio está em expansão. Por isso, podemos fortalecer a produção artesanal, agregar valor ao produto, gerar renda e impulsionar o enoturismo na cidade”, finaliza.

Solo propício ao plantio de uva

De acordo com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), quase todo o território paulista é propício ao plantio de uva. A cadeia produtiva da fruta é extre­mamente ampla, não correspondendo apenas à produção de vinho. No exterior, por exemplo, a uva é utilizada para a produção de pigmentos, corantes e essências para sorvetes, bolos e gomas de mascar, além de produção de cosméticos.

Além do vinho, mais de 20 bebidas têm origem da fruta, como a grappa, conhaque e o pisco. De cada dez sucos consumidos no mundo, seis são de uva. A estimativa de produção de uvas no Brasil para este ano é de 1,3 milhão de toneladas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Caso a produção chegue nesta totalidade, cerca de 390 mil toneladas de subprodutos serão fabricadas este ano no Brasil.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*