Computadores, HDs, pendrives e cartões SD foram apreendidos na operação em Piracicaba (Foto: Polícia Civil)

Um adolescente foi detido com material criminoso, segundo a Polícia Civil. Ele foi ouvido e liberado para os pais

Polícia Civil de Piracicaba (SP) cumpriu na manhã desta quinta-feira (17) dois mandados de busca e apreensão na Operação Luz na Infância 2. Outros mandados foi cumprido em São Pedro e Limeira (SP), segundo a investigação. A operação combate a exploração sexual infantil e compartilhamento de material pornográfico de crianças em todo o país. Ao todo, 132 pessoas foram presas segundo o balanço divulgado às 11h15.

Segundo a Polícia Civil de Piracicaba, os mandados foram cumpridos nos bairros Vila Sônia e Cidade Jardim. Ninguém foi preso e foram apreendidos dois computadores, HDs externos, pendrives e cartões SD.

Em um deles, o alvo era a casa de um adolescente de 16 anos. Com ele, a investigação encontrou material pornográfico. Ele foi apreendido, ouvido pelos policiais e liberado para a família. O caso vai para a Vara da Infância e Juventude.

No outro caso, o alvo era um homem que teve o computador apreendido. Não foi localizado, na máquina, nenhum arquivo criminoso. O computador vai passar por perícia e o suspeito foi liberado.

Em São Pedro, a Polícia Civil apreendeu um HD externo em uma casa do Centro e ninguém foi preso em flagrante. Não há informações, até esta publicação, sobre a operação em Limeira.

A operação

São cumpridos 578 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e em 24 estados. Ao todo, 2,6 mil policiais de todo o país fazem apreensão de arquivos com conteúdos relacionados a crimes de exploração sexual contra crianças e adolescentes. Suspeitos também estão sendo detidos em flagrante.

Os alvos foram identificados pela Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública com base em elementos informativos coletados em ambientes virtuais. A operação é realizada às vésperas do Dia Nacional de Combate à Violência e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

De acordo com a Polícia Civil, o nome da operação foi escolhido em referência à ação metafórica de jogar luz sobre a infância. “Os acusados deste tipo de delito agem às sombras da internet e devem ter suas condutas elucidadas e julgadas.”

Na primeira fase da operação Luz na Infância, realizada em 20 de outubro de 2017, foram cumpridos 157 mandados de busca e apreensão de computadores e arquivos digitais. À época, 112 pessoas foram presas.

Fonte: G1

Outras notícias

COMPARTILHAR