A Acia (Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Araras) registrou queda nas vendas no Dia das Mães este ano. Segundo o balanço divulgado no final da tarde de ontem, dia 11, as vendas caíram 1,5% em relação a 2014.

De acordo o executivo da Acia, Luiz Roberto Biaggio, a pesquisa foi realizada com base nas vendas de 1º a 10 de maio e essa foi a primeira queda desde o início da pesquisa. “Esperávamos um aquecimento, com um volume maior, mas pessoas compravam presentes mais baratos, que gerou uma queda de 1,5%”, explicou.

A crise financeira teve reflexões no Estado de São Paulo inteiro. Dados da Boa Vista SCPC mostram que, em 2015, as vendas do comércio brasileiro no Dia das Mães recuaram 1,2% quando comparadas a 2014. É o primeiro recuo das vendas para a data desde 2008, quando o indicador foi criado, e provavelmente o pior desempenho para o período desde 1990, quando a economia sofria os impactos do bloqueio da poupança promovido pelo Plano Collor. Em faturamento, o recuo representa uma perda de R$ 7 bilhões em relação ao ano passado, de acordo com levantamento da Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo).

Para a apuração do faturamento, foram consideradas não apenas as consultas à Boa Vista SCPC (aproximação para o número de vendas), mas também a queda do valor médio do presente – de R$ 65 para R$ 57 entre 2014 e 2015, segundo sondagem elaborada pela FecomercioSP. Ante recuos das vendas e do valor do presente, estima-se que a queda do faturamento real do comércio brasileiro no período possa ter chegado a 19%.

O resultado apenas confirma o cenário já antecipado pelas entidades. A inflação elevada, os juros altos e a piora no mercado de trabalho derrubaram a confiança do consumidor para o menor nível em 12 anos. A menor confiança vem se traduzindo em um comportamento mais cauteloso por parte do consumidor, que compra menos e evita novas dívidas. No Dia das Mães, isso levou não só a um recuo das vendas, mas a uma expressiva queda do valor médio dos presentes e, consequentemente, do faturamento do comércio.

O movimento das vendas no Dia das Mães, portanto, segue a tendência de desaceleração do varejo como um todo e antecipa um ano de menor crescimento para o comércio. Diante do cenário econômico incerto, do desaquecimento no mercado de trabalho e da perda de poder aquisitivo dos consumidores, uma retomada da confiança ainda parece distante, comprometendo, assim, a economia e as vendas do varejo em 2015.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*