A taxa de desocupação para o Brasil, no trimestre encerrado em agosto de 2015, foi estimada em 8,7%, superando a do trimestre encerrado em maio de 2015 (8,1%) e, também, a do mesmo trimestre do ano anterior (6,9%). Foi a maior taxa de desocupação da série, iniciada em 2012. A população desocupada (8,8 milhões de pessoas) cresceu 7,9% (mais 647 mil pessoas) em relação ao trimestre de março a maio e subiu 29,6% (mais 2,0 milhões de pessoas) no confronto com igual trimestre de 2014. Já a população ocupada (92,1 milhões de pessoas) ficou estável em ambas as comparações. O número de empregados com carteira assinada recuou 1,2% (menos 425 mil pessoas) frente ao trimestre de março a maio e caiu 3,0% (menos 1,1 milhão de pessoas) frente a igual trimestre de 2014.
rendimento médio real habitualmente recebido (R$ 1.882) recuou 1,1% frente ao trimestre de março a maio (R$ 1.904) e ficou estatisticamente estável em relação ao mesmo trimestre de 2014 (R$ 1.864). A massa de rendimento médio real habitualmente recebida para o trimestre encerrado em agosto (R$ 167,8 bilhões) caiu 1,1% frente ao trimestre móvel anterior e ficou estável em relação ao mesmo trimestre de 2014.

Os indicadores da Pnad Contínua são calculados para trimestres móveis, utilizando-se as informações dos últimos três meses consecutivos da pesquisa. A taxa do trimestre móvel terminado em agosto de 2015 foi calculada a partir das informações coletadas em junho/2015, julho/2015 e agosto/2015. Nas informações utilizadas para o cálculo dos indicadores para os trimestres móveis encerrados em julho e agosto, por exemplo, existe um percentual de repetição de dados em torno de 66%. Essa repetição só deixa de existir após um intervalo de dois trimestres móveis.

 

Indicador / Período junho-julho-agosto
de 2015
março-abril-maio
de 2015
junho-julho-agosto
de 2014
Taxa de desocupação 8,7% 8,1% 6,9%
Rendimento real habitual R$ 1.882 R$$ 1.904 R$ 1.864
Valor do rendimento em relação a: -1,1% 1,0% (estável)

 

 

Taxa de desocupação para os trimestres móveis ao longo dos anos

Trimestre móvel 2012 2013 2014 2015
jan-fev-mar 7,9 8,0 7,2 7,9
fev-mar-abr 7,8 7,8 7,1 8,0
mar-abr-mai 7,6 7,6 7,0 8,1
abr-mai-jun 7,5 7,4 6,8 8,3
mai-jun-jul 7,4 7,3 6,9 8,6
jun-jul-ago 7,3 7,1 6,9 8,7
jul-ago-set 7,1 6,9 6,8  
ago-set-out 6,9 6,7 6,6  
set-out-nov 6,8 6,5 6,5  
10° out-nov-dez 6,9 6,2 6,5  
11° nov-dez-jan 7,2 6,4 6,8  
12° dez-jan-fev 7,7 6,8 7,4  

 

No trimestre de junho a agosto de 2015, havia cerca de 8,8 milhões de pessoas desocupadas no Brasil. Esta estimativa no trimestre de março a maio de 2015 correspondia a 8,2 milhões, representando um acréscimo de 7,9%, ou mais 647 mil pessoas nesse contingente. No confronto com igual trimestre do ano passado esta estimativa subiu 29,6%, significando um aumento de 2,0 milhões de pessoas desocupadas na força de trabalho.

imagem

O número de pessoas ocupadas foi estimado em 92,1 milhões e não apresentou variação estatisticamente significativa em relação ao trimestre de março a maio de 2015. Frente ao mesmo trimestre de 2014, esta estimativa também ficou estável. (http://saladeimprensa.ibge.gov.br/)

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*