Reunião aconteceu na manhã de sexta-feira (20) no gabinete do prefeito Pedro Eliseu Filho (PSDB)

Diálogo entre as partes foi conduzido, inclusive, com a participação de representantes da Usina São João, proprietária da área invadida que os moradores querem que seja transformada em Zona Especial de Interesse Social

Reunião aconteceu na manhã de sexta-feira (20) no gabinete do prefeito Pedro Eliseu Filho (PSDB)
Reunião aconteceu na manhã de sexta-feira (20) no gabinete do prefeito Pedro Eliseu Filho (PSDB)

Nas palavras do chefe do Executivo de Araras, Pedro Eliseu Filho (PSDB), o Acampamento Esperança, localizado em área da Usina São João, é formado pelo “pessoal que está na linha da antiga estação de trem que pertencia à Fepasa e que o Governo do Estado deu como pagamento de dívida com a União e agora está na SPU, a Secretaria de Patrimônio da União”.

Os moradores da área, praticamente 100 famílias, fazem algumas reivindicações e a Prefeitura, diz o prefeito, “tem tentado ajudá-los junto à Usina São João, inclusive, no sentido de contornar os problemas e regularizar a situação dos que lá estão, conseguindo com isso amenizar um problema social grande. São crianças, mulheres, idosos e a gente tem feito um trabalho de aproximação naquilo que depende de nós, tomando as atitudes concretas para levar os benefícios que eles precisam. Afinal de contas tem seres humanos morando ali. E na condição de mediadores, porque o problema é com a Usina São João, que está no direito dela também, a Prefeitura tem aproximado as partes e a Usina também está fazendo a parte dela”, disse após reunião na manhã de ontem (20) em seu gabinete com os manifestantes do acampamento. O objetivo foi pedir a intervenção da Administração, por meio do Conselho Municipal do Desenvolvimento de Araras, para aprovar um projeto de lei na Câmara Municipal de alteração no Plano Diretor de Desenvolvimento, transformando a área em questão em Zona Especial de Interesse Social.

Aline Mariana Dias Barbosa, representante dos moradores, comentou: “Ficou acertado na reunião que o prefeito vai reconhecer a área como de interesse social já para fazer o cadastro socioeconômico semana que vem no acampamento, que a fiscalização vai averiguar quem tem direito de ter a moradia lá, pra regularizar a nossa área e vir a tão sonhada energia elétrica. E que a Usina vai deixar as casas como estão, não vai haver mais demolição. Só vai ter um caso que vai ser questionado e estudado para ver o que será feito”.

Todos que estavam presentes, “que é a metade, a maioria, os 50 moradores e famílias que estiveram aqui hoje (20) assinaram as atas e a documentação necessária”, completou Aline.

Eliseu Filho ainda expôs que “a Usina São João pagou um georreferenciamento para poder enxergar onde estavam os problemas e hoje (20) nós avançamos aí com praticamente 99% do assunto resolvido”. E concluiu: “É importante destacar que esse problema é antigo. Faz mais de oito anos que as pessoas lá estão e que agora, sim, nós estamos tomando as atitudes concretas no sentido de resolver o problema e deixar a coisa dentro de uma certa normalidade. Eles vieram aqui legitimamente fazer a sua manifestação, pedir que a gente acelerasse os processos todos. Com certeza sabiam que os representantes da Usina São João estavam no gabinete. Nós levamos a conversa, aqui no gabinete do prefeito, com a presença dos representantes da Usina São João e o resultado foi muito favorável”.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*