O Economizômetro ontem, dia 6, registrou o consumo de água diária no domingo, dia 7

A Prefeitura de Araras e o Saema (Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente) decidiram manter a água liberada em toda a cidade até a próxima sexta-feira, dia 10. Portanto, não haverá interrupção no abastecimento nos próximos dias.

A suspensão temporária do racionamento 12×36, que já vigorou entre os dias 2 e 5 de abril, por causa da Páscoa, e será mantida por mais esta semana para que a autarquia e a administração tenham um parâmetro mais concreto sobre o consumo diário na cidade, visando à definição de novas estratégias de combate à crise hídrica.

A média durante o feriado de Páscoa foi de 44,3 milhões de litro por dia – o recorde foi registrado na última quinta-feira, dia 2, quando o consumo atingiu 46 milhões de litros. Volumes muito superiores aos 25 milhões de litros por dia, que são a meta definida pela Campanha Água: Use, Não Abuse. Nosso grande desafio, lançada em 11 de março.

A redução visa principalmente a recuperação das represas responsáveis pelo abastecimento da cidade, uma vez que, consumindo 25 milhões de litros por dia, o município passaria a usar praticamente apenas a água captada do Rio Mogi Guaçu.

“A tendência é que o consumo aumente no feriado. Por isso, vamos fazer o comparativo também durante esta semana para ter dados mais reais sobre o consumo da população, numa situação normal de oferta de água. Reforço, no entanto, o pedido para que as pessoas utilizem a água de forma racional e economizem, pois agora começa o período de estiagem e a situação continua preocupante”, comentou o presidente do Saema, Felipe Dezotti Beloto.

 


 

Perfuração de oito poços artesianos ficará em R$ 1,3 milhão

 A perfuração de oito poços artesianos em Araras vai demandar o investimento de R$ 1.331.384,10. O valor é 43,20% menor do que o inicialmente estimado pelo Saema (Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente) de Araras, que concluiu, na semana passada, o processo licitatório para contratação das obras. Inicialmente, o serviço havia sido orçado em R$ 1.906.441,89.

De acordo com a autarquia, quatro empresas participaram da licitação, vencida pela Hidro Oeste Perfurações de Poços Artesianos Ltda. EPP – de Andradina/SP. Além dela, também disputaram o serviço a DH Perfuração de Poços Ltda., a Constroleo Lubrificantes Ltda., e a Poços Artesianos Água Limpa Ltda – ME.

O próximo passo, dentro dos trâmites legais do processo, é a homologação do contrato, prevista para acontecer no dia 13 de abril. A assinatura do contrato está marcada para 20 de abril e, a partir de então, a empresa terá 90 dias para concluir os trabalhos.

Os poços serão perfurados em locais elencados pelo Saema como estratégicos para acionamento em caso de emergência decorrente da crise hídrica. Eles ficarão em áreas pertencentes a prédios municipais e em regiões altas de alguns bairros.

As perfurações serão na rua José Sotini – Jardim das Nações 2 (região sudeste); rua José A. de Lima – Jardim Rosana (região oeste); rua Helisan Eden Fioramonte – Jardim Dalla Costa (região sudeste) ; rua Fernando G. de Lara Franco – Escola Jardim Itamaraty (região leste) ; rua João Constantino Gasparoto – Creche Jardim Tangará (região sudeste); rua Antônio Gomes da Silva – Creche Jardim Morumbi (região leste) ; rua Eugênio Russo – Creche Alto da Colina (região norte); e na avenida Irineu Carrocci – UPA 24h – José Ometto 2 (região leste).

A expectativa do Saema é de que cada poço seja capaz de fornecer, emergencialmente quando necessário, até aproximadamente 150 mil litros de água por dia. “Mas isso é estimativa e não podemos nem pensar em depender dessas fontes para abastecimento da população. Serão complementos aos demais sistemas que já possuímos – represas e captação de água do Rio Mogi Guaçu”, explica o presidente do Saema, Felipe Beloto. “Além disso, temos que ter muito cuidado com as águas subterrâneas, pois da preservação delas também dependem nossos mananciais e os recursos hídricos no futuro”, alerta ele.

A perfuração de oito poços foi elencada como medida de curto prazo anunciada pelo Saema em janeiro, dentro do Plano de Metas para enfrentamento da crise hídrica que afeta centenas de cidades na região Sudeste do Brasil e também atingiu Araras. (Com informações Secom).

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*