Os vereadores da Câmara Municipal de Araras aprovaram por unanimidade na 37ª Sessão Ordinária, realizada na última terça-feira, dia 13, o Projeto de Lei nº 36/2015 do Executivo Municipal que regulamenta o acesso à informação previsto no inciso XXXIII, do artigo 5º, da Constituição Federal, conforme as normas gerais emanadas da Lei Federal nº 12.527, de 18 de novembro de 2011.

O projeto de lei tem por objetivo atender ao disposto no artigo 45 da Lei Federal nº 12.527/2011, regulamentando, em âmbito municipal, o direito ao acesso à informação. Isso garantirá ao cidadão o acesso à informação nos órgãos da administração pública municipal direta e indireta dos Poderes Executivo e Legislativo, bem como nas entidades privadas de finalidade não econômica que recebam recursos públicos municipais, sob a forma de subvenções sociais, contratos de gestão, termos de parceria, convênios, acordos, ajustes ou instrumentos congêneres.

O projeto aprovado será encaminhado na forma de autógrafo para eventual sanção e promulgação do prefeito Nelson Dimas Brambilla (PT – Partido dos Trabalhadores).

 


 

 

Samu recebe homenagem em Ato Solene na Câmara Municipal

Magda
Funcionários receberam Moção de Congratulações em homenagem ao Dia do Samu, celebrado em 5 de outubro.

 

Durante a 37ª Sessão Ordinária, realizada na última terça-feira, dia 13, a Câmara Municipal de Araras realizou o Ato Solene em comemoração ao “Dia do Samu”, celebrado em 5 de outubro.  A homenagem é realizada conforme Decreto Legislativo nº 10 de 2005 de autoria do ex-vereador José Roberto Rimério – Miqueira.

A cerimônia também contou com a presença do coordenador do Samu Araras (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Rodrigo Vilela, familiares e colegas de trabalho dos homenageados.

Os funcionários responsáveis pelo atendimento de urgência e emergência do município que foram indicados pelos companheiros de trabalho e receberam congratulações foram: o médico socorrista Pedro Ivo Pastorello; a enfermeira Anita Rogéria Janes, representada na ocasião pela enfermeira Camila Carmen Corona; o técnico de enfermagem Antonio Donizete Vitor; o condutor Ezequiel Fernando Pastre; e a servente Débora Cristina Andreatto.

A presidente e vereadora Magda Carbonero Celidorio (PSDC – Partido Social Democrata Cristão) parabenizou os homenageados. “Este é um justo reconhecimento aos serviços prestados por vocês profissionais que dia e noite se entregam à missão de socorrer e salvar vidas, exercendo suas atividades como um verdadeiro sacerdócio e realizando atendimento vital para as vítimas dos mais diversos tipos de acidentes e ocorrências. Vocês profissionais aqui homenageados representam esta importante entidade, que é o Samu, motivo de orgulho da nossa cidade com 14 anos de atividades ininterruptas”, disse.

O coordenador do Samu agradeceu a homenagem. “O Samu se resume em números. Uma média de 2.600 atendimentos por mês, tendo 20% desses atendimentos com uma gravidade de alta complexidade. Este é um serviço que não é meu, é da população, é para isso que todos esses servidores se dedicam e prestam com a maior qualidade esse serviço ao povo de Araras. Só tenho a agradecer essa homenagem a todos os nossos funcionários e também o acolhimento desta Casa ao Samu de Araras”, ressaltou Vilela.

O médico socorrista Pedro Ivo Pastorello usou a tribuna para falar em nome dos homenageados. “Agradeço o convite em receber esta homenagem em nome de todo o Samu. Estou muito feliz”, frisou.

 


 

 

Mudanças de ciclos do ensino são debatidas em Tribuna Livre

Estudante Lara Cristina Emídio na Tribuna Livre
Estudante Lara Cristina Emídio na Tribuna Livre

 

A estudante Lara Cristina Emídio fez uso da Tribuna Livre e falou sobre as mudanças de ciclos do ensino na rede estadual.

A jovem evidenciou sua insatisfação com a reestruturação do ensino, medida esta que visa reorganizar a distribuição dos alunos nas escolas, segundo o Governo do Estado de São Paulo. “A nossa educação carece muito de melhorias, mas melhorias para agora, para hoje. Nada têm a ver com a mudança de ciclos. Nós precisamos que nossos mestres sejam valorizados, que os nossos prédios sejam fortalecidos, que a nossa educação seja fortalecida. Nós sabemos da carência que temos em sala de aula, quando um professor entra para dar aula com 45 alunos dentro de uma sala. Nós precisamos que esses alunos sejam remanejados, mas de uma forma sábia, de uma forma em que ninguém sairá prejudicado. Nós precisamos que o governador nos ouça, nós precisamos ter voz”, disse.

O vereador Breno Zanoni Cortella (PT – Partido dos Trabalhadores) apoiou a iniciativa da jovem. “O chamado que você faz nesta noite, Lara, é o chamado que tem sido feito nas últimas semanas e que nós temos visto especialmente na semana passada na capital do Estado, da falta do diálogo. É muito importante a sua presença aqui. A Câmara aprovou por unanimidade uma Moção de Apelo pelo diálogo e contra o fechamento de salas e de escolas. Então é necessário mesmo que vocês continuem organizados para que possam receber as necessárias informações, serem ouvidos e estabelecerem este canal de comunicação”, disse.

O vereador Francisco Nucci Neto (PMDB – Partido do Movimento Democrático Brasileiro) parabenizou a atitude da estudante. “Parabéns pelas suas palavras. Muito amadurecida, muito responsável, preocupada com um problema que vários vereadores já se manifestaram aqui na sessão passada, e muito bem definida pelo que você falou. Na educação não se faz economia”, comentou.

Já o vereador Valdevir Carlos Anadão – Professor Dê (PT) abordou os assuntos citados por Lara comentando: “Gostaria de fazer coro aos meus colegas e parabenizar a sua fala. A gente sabe o quanto que o nosso País é carente de lideranças e você se coloca nesse momento como uma liderança a uma causa justa. A causa da educação é uma causa justa. É um pretexto onde o senso comum, onde as pessoas sabem da sua importância. Entre outras coisas que você colocou, e outros assuntos importantes da reestruturação em relação ao número de alunos por sala de aula, nós precisamos entender esta proposta e para isso o processo de diálogo é fundamental, mas não ocorreu”, argumentou.

O vereador Carlos José da Silva Nascimento – Zé Bedé (PT) ressaltou a importância do diálogo entre o governo e as escolas.  “Eu entendo que se houvesse um diálogo entre vocês, entre os representantes do governo, com certeza teriam condições de contribuir apontando ideias que poderiam colaborar para que realmente chegassem numa conclusão onde todos saíssem ganhando e entendendo pelo menos o que foi discutido”, enfatizou.

Para o vereador Marcelo de Oliveira (PRB – Partido Republicano do Brasil) o remanejamento das escolas acarretará em fechamento de diversas salas de aula. “Nós tivemos no Estado de São Paulo 390 salas que foram abertas este ano e agora o governador quer fazer o fechamento de 1.200 salas em um ano. É um contrassenso. Nós ficamos preocupados com essas ações que com certeza são um retrocesso para a educação e para o Estado de São Paulo. Nós, que deveríamos investir na educação, estamos cortando-a”, apontou.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*