Danilo da Costa Fernando de Jesus tinha 27 anos e era conhecido como Libão, morador do Parque Industrial

Horas antes de sua morte, o jovem havia sido vítima de uma tentativa de homicídio em sua residência

Rapaz é assassinado a tiros no Lago Municipal
Danilo da Costa Fernando de Jesus tinha 27 anos e era conhecido como Libão, morador do Parque Industrial

Um rapaz foi assassinado na madrugada de ontem (14) no Parque Municipal “Fábio da Silva Prado”. Danilo da Costa Fernando de Jesus (27) foi morto a tiros em execução, horas depois do mesmo ter sofrido uma tentativa de homicídio em sua casa.

A trama teve início por volta das 23h45 do dia anterior, quarta-feira (13), quando policiais militares foram chamados até uma residência no bairro Parque Industrial, na rua Rondônia, sob a denúncia de disparos de arma de fogo. Ao chegarem no local foram encontradas cápsulas de munição calibre 9mm, além de marcas de tiros no muro da residência. No entanto, ninguém foi visto.

Durante averiguação os policiais foram informados pelo Hospital São Luiz de que um rapaz teria dado entrada no local com ferimentos nas mãos que poderiam ter sido feitos após os disparos.

Os policiais foram até o hospital e lá se depararam com Danilo, que lhes contou sua versão dos fatos, dizendo que estaria chegando caminhando em sua residência no momento em que ouviu alguém chamá-lo pelo seu apelido (“Libão”), mas que ignorou e entrou correndo e se feriu ao pular o muro da casa, enquanto ouvia os disparos da arma de fogo. O jovem ainda disse que ele mesmo foi até o hospital para ser atendido.

A Polícia registrou um boletim com a origem de disparos de arma de fogo e ao receber alta médica, Danilo, minutos depois, foi encontrado novamente pelas autoridades, mas desta vez já sem vida. O corpo da vítima estava caído no Lago Municipal próximo ao acesso à rua Henrique Dias.

Ao redor do corpo foram encontradas algumas cápsulas de projéteis. O corpo estava com perfurações na região da cabeça e também uma nas costas. Os guardas municipais contam que ao chegar perceberam que alguns moradores de rua estavam pela região. No entanto, saíram do local logo que os GMs se aproximaram do corpo.

O Lago Municipal conta com câmeras de circuito interno de fiscalização. No entanto, as mesmas estavam desligadas e a Polícia Civil não poderá contar com o recurso para a elucidação do crime.

Libão, como era chamado, era morador do Parque Industrial e já era conhecido nos meios policiais, conforme consta no boletim de ocorrência. A Polícia Civil agora investiga o crime e acredita, a princípio, que os dois crimes cometidos contra Libão possuem ligação.

Lucas Neri

Mais Informação

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*